Sobre a Empresa

Saiba um pouco mais sobre a SVPM
  • a Empresa
  • missão, visão e valores
  • equipe
featured-image-4
 
 

a Empresa

A Mineração Serra Verde foi fundada em 2008.

O projeto foi criado com o objetivo de produzir concentrado de terras raras em nível de classe mundial a ser implantado no município de Minaçu, Estado de Goiás, Brasil.

 

Mineração Serra Verde

featured-image-4
 
 

Missão

Consolidar uma operação de produção de concentrados de terras raras lucrativa, sustentável e socialmente responsável.

Visão

Ser um elo relevante na cadeia global de produção de terras raras sendo reconhecidos como um fornecedor confiável e competitivo.

Valores

Segurança e saúde das pessoas, produção de alto valor agregado, empoderamento e respeito mútuo, integridade e transparência em nossas operações, eficiência econômica de nossos processos e responsabilidade socioambiental em nossas decisões estratégicas.

 
 

Em atualização...

 

 

 

PROJETO ALF

A empresa visa operar o primeiro projeto de produção de terras raras críticas com baixo custo e de classe mundial.
  • timeline
  • recursos
  • processo
  • pilotagem
  • engenharia
  • Construção

HISTÓRICO DOS TRABALHOS DE PESQUISA

 

O interesse na pesquisa geológica da região surgiu após a análise de alguns relatórios que mostravam o potencial para Terras Raras na região da Mata Azul, localizado na porção norte do Granito Serra Dourada (extremo norte de Goiás).

Em 2010 foi realizada uma campanha de levantamentos aerogeofísicos, onde foram gerados mapas Magnetoméricos (Sinal Analítico, Campo Total) e Gamaespectrométricos (Contagem Total e Canais de K, Th e U), num total de 4.223 km lineares de levantamentos, cobrindo uma área de 778 km2.

Na sequência foram requeridas mais algumas áreas para a pesquisa de Terras Raras, que posteriormente foram divididas nos seguintes alvos: Nova Esperança, Pela Ema, Centro Norte, Montividiu e Ribeirão Grande. O detalhamento dos trabalhos foi iniciado pelo Alvo Nova Esperança com amostragens de sedimento de corrente, concentrado de bateia, solo, rocha, seguidas de geofísica terrestre. No segundo semestre de 2011 foi iniciada a primeira campanha de sondagem a trado no Alvo Nova Esperança (Grid Nova Esperança), sendo finalizada no início de 2012. Na sequência foi iniciada uma outra campanha de sondagem diamantada, onde foram realizados furos, todos no diâmetro HQ.

 

DIREITOS MINERÁRIOS

 

As áreas da SVPM consistem em 75 direitos minerários, cobrindo uma área de 70.363 Há, compreendendo 5 municípios na porção norte do estado de Goiás (GO) e dois municípios no sul do estado do Tocantins (TO): Minaçu-GO, Trombas-GO, Montividiu do Norte-GO, Palmeirópolis-TO e Jaú do Tocantins-TO.

 

CONTEXTO GEOLÓGICO E MINERALIZAÇÃO

 

Os Terras Raras ocorrem associados a saprólitos do granito Serra Dourada, que é a maior intrusão da Província Estanífera Goiás. Ele ocupa a zona axial de um braquianticlinal envolto por rochas do Grupo Serra da Mesa e tem uma área de aproximadamente 450 km2 (Marini et al., 1976). A intrusão é alongada e orientada de acordo com as estruturas regionais, tem aproximadamente 64 km de comprimento na direção NS e varia entre 3,5 e 12 km de largura (média 7,5 km) na direção EW.

O tipo de depósito encontrado no Pela Ema é o de Terras Raras adsorvidos nas argilas, muito semelhante ao que é encontrado em costas lateríticas de granitos no sudeste da China. O enriquecimento de Terras Raras ocorre durante o processo de laterização desses granitos, que resultam na geração de íons trocáveis de REE, além de fonte residual de minerais de REE contidos no colúvio e saprolito. Este tipo de depósito tem sido chamado de "Depósito de Terras Raras em Crostas de Eluição" (Chi e Tian, 2008) e também é conhecido como depósito de Terras Raras do tipo íon-adsorvido.

 

OPERAÇÃO PLANTA PILOTO

 

 

Em setembro de 2016, a Serra Verde Pesquisa e Mineração (SVPM) executou testes metalúrgicos, durante dois meses, com o objetivo de validar os processos de lixiviação agitada em regime contínuo e de filtração em filtro prensa (ALF) na planta piloto e de definir os parâmetros de processo.

Um total de 105 testes de bancada foram realizados, dando direção a operação da planta piloto. A planta piloto operou doze (12) testes de forma contínua. Ao final do programa, foi confirmada a operabilidade do processo ALF e foi reportado um escopo de estudo em dezembro de 2016.

Como uma segunda etapa do programa de testes metalúrgicos, em fevereiro de 2017, a Serra Verde Pesquisa e Mineração planejou uma operação de pilotagem do processo completo, durante três meses, abril 2017 a julho 2017, com o objetivo de otimizar o escopo de estudo apresentado em dezembro de 2016.

O processo completo em escala piloto consistiu nas seguintes etapas: secagem e homogeneização do minério, sistema de peneiramento, lixiviação agitada contínua seguido de filtração em filtro prensa, precipitação de terras raras como carbonato misto de terras raras, filtração do carbonato em filtro prensa e recirculação da solução exaurida.

Entre 15 de maio de 2017 e 14 de julho de 2017, operando 24 horas por dia, 5 dias por semanas, foram realizados um total de onze (11) testes de pilotagem em regime contínuo com a mistura de minérios de três das zonas da mina, gerando aproximadamente 10 kg de óxido de terras raras (REO).

Foram realizadas análises químicas, pela equipe de laboratório SVPM, para balanço de massa e controle operacional. Os resultados dos testes forneceram dados para estudos de engenharia, CAPEX e OPEX.

 

ENGENHARIA

 

A Serra verde está atualmente desenvolvendo a engenharia básica do projeto Serra Verde.
A empresa contratada para realizar esta etapa do projeto foi a TETRA TECH, empresa Multinacional especializada em desenvolvimento e implementação de projetos de Mineração.

O projeto em desenvolvimento possui as seguintes características:

- Mina a céu aberto, sem necessidade de desmonte para extração do minério;
- Rota de processo com equipamentos de fornecimento nacional e de aplicação convencional na mineração;
- Planta com característica modular.

As próximas etapas são a elaboração da Engenharia de detalhamento e início da construção.

A SVPM tem o objetivo de entrar em operação no quarto trimestre de 2021.

 

 



JORDANA FERREIRA

Gerente de Processo

Engenheira civil, pós-graduada em engenharia de Minas. Seis anos de experiência no setor de mineração. Responsável pelo desenvolvimento, operação, monitoramento e interpretação de testes metalúrgicos e definição de rota de processo. Responsável pela avaliação de balanços de materiais, fluxogramas de processo e de engenharia. Responsável pela gestão de risco do projeto.

 

PITÁGORAS COSTA

Gerente de Projeto

Engenheiro eletricista com experiência profissional em gerenciamento de projetos. Ex-gerente de projetos em indústria de mineração e responsável pela implantação de projetos de Usinas de Ouro. Ex-coordenador em empresas de engenharia. Mais de 15 anos de experiência em planejamento, desenvolvimento, comissionamento e implementação de projetos.

 

JORGE FRUTUOSO

Gerente de Operações

Geólogo, mais de 20 anos de experiência em interpretação de dados, planejamento e controle de exploração de projetos (Mn, Fe REE, base metals) e mineração. Trabalhou em empresas do segmento de mineração. Líder do processo de licenciamento.

      

            MELHORIAS NA ESTRADA DO VICENTE - ACESSO DA GO/241.

 

 

 

 

 

Localização

Minaçu, município brasileiro situado ao norte do Estado de Goiás, a aproximadamente 504 km da capital Goiânia.
Mapa de Goiás


População
População estimada em 2017: 30.696
População no último censo 2010: 31.154
Densidade demográfica 2010: 10,89 hab/km²

Economia
PIB per capita 2015: R$ 50.040,51
Percentual de receitas oriundas de fontes externas: 79,9%
Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) 2010: 0,707
Total de receitas realizadas 2008: R$ 46.675 x1000
Total de despesas realizadas 2008: R$ 46.673 x1000

Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais: 2,9 salários min.
Pessoal ocupado 2015: 4.674 pessoas
População ocupada 2015: 15,1%

Fonte: IBGE

 

 

carreiras

Princípios e Valores

1. Verdade
2. Honestidade
3. Transparência
4. Fraternidade
5. Cortesia
6. Responsabilidade Social
7. Excelência
8. Comprometimento
9. Legitimidade
10. Equidade

Saiba como montar um bom currículo

montar cv

Saiba como montar um bom currículo

O currículo é a primeira impressão que a Serra Verde terá dos profissionais que pleitearem uma vaga na organização. Por isso é preciso ter todo o cuidado e dedicação para montar o seu. Evitar problemas como erros de português e informações em excesso são importantes para que o seu currículo seja considerado atrativo para a área de Recursos Humanos.

Confira as dicas de Cíntia Ferreira, Coordenadora de RH da Serra Verde, para que o seu currículo seja assertivo.

1 - Formatação

Seu currículo deve conter um bom texto, com as informações bem organizadas e objetivas. O ideal, segundo Cíntia, é que as margens usadas sejam amplas, a fonte do texto limpa e que o negrito e itálico sejam usados de maneira seletiva.

2 - Informações Pessoais

Insira seu nome no início do currículo, coloque dados pessoais de endereço, telefone, e-mail, idade, naturalidade e estado civil sempre atualizados para que o recrutador tenha acesso rápido a eles. Não é necessário incluir números de documentos pois, eles serão solicitados caso o candidato seja aprovado. A foto é opcional, mas se desejar colocar, lembre-se: Foto no tamanho 3x4, com postura séria, esqueça as fotos de redes sociais.

3 - Informações de escolaridade

É muito importante conter no currículo as informações da sua escolaridade, são consideradas como escolaridade os ensinos: fundamental, médio, técnico, graduação e especializações. Lembre-se de citar o nome do curso, ano de conclusão e por qual instituição tem o título.

4 - Experiências profissionais

É imprescindível um currículo conter as 3 (três) últimas experiências profissionais, começando pela atual ou o último emprego. É necessário colocar o nome da empresa, cargo, data de admissão e demissão e uma descrição sumária das atividades realizadas.

Caso você esteja se candidatando ao seu primeiro emprego, coloque esta informação.

5 - Cursos de aperfeiçoamento

Cite apenas os cursos mais significativos que você já realizou e que tenha ligação com a vaga na qual você está se candidatando.

6 - Seja sincero

Não minta em seu currículo, independentemente do assunto. Essa é uma atitude antiética e que normalmente acaba sendo descoberta pela área de Recursos Humanos e, se descoberta, irá impactar diretamente em sua credibilidade.

7 - Faça uma revisão antes de enviar

É importante revisar o currículo antes de enviar, peça para um amigo ou parente de confiança, isso amenizará erros de português e digitação.

8 - Forma de envio

A grande maioria das empresas preferem o envio do currículo por e-mail ou cadastrado no site, esse é o caso da Serra Verde, nos envie o seu desta forma.

Consulte nossas vagas disponíveis

consulte vagas

 

Vaga: Soldador

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Ensino Médio Completo; Desejável Nível Técnico; Desejável conhecimento em Oxicorte e Caldeiraria.

Responsabilidades: Executar serviço de recuperação e fabricação de peças e estruturas metálicas de equipamentos e instalações; Executar soldas com eletrodo revestidos, cortes com eletrodos, cortes oxiacetilenos e cortes com maçarico.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/148864

 

Vaga: Mecânico de Frota III (2 vagas)

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Ensino Médio completo e curso profissionalizante de manutenção; Desejável Nível Técnico e Pacote Office; Experiência em manutenção mecânica, elétrica e eletrônica de equipamentos móveis.

Responsabilidades: Executar serviços de manutenção mecânica e elétrica preditiva, preventiva e corretiva; Realizar acompanhamento através do Controle de Manutenção; Executar serviços de borracharia em equipamentos móveis leves e pesados, efetuando inspeções; Efetuar o rodízio de pneus, aparelhamento, calibragem e intervenções emergenciais; Preparar peças para montagem de equipamento, bem como, a análise da desmontagem, reparos, trocar peças, dos componentes vitais de máquinas e equipamentos.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/148859

 

Vaga: Mecânico de Frota I (2 vagas)

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Ensino Médio Completo e curso profissionalizante de manutenção; Desejável Nível Técnico e Pacote Office; Conhecimento em manutenção mecânica, elétrica e eletrônica de equipamentos móveis.

Responsabilidades: Executar serviços de manutenção mecânica e elétrica preditiva, preventiva e corretiva; Realizar acompanhamento através do Controle de Manutenção; Executar serviços de borracharia em equipamentos móveis leves e pesados, efetuando inspeções; Efetuar o rodízio de pneus, aparelhamento, calibragem e intervenções emergenciais; Preparar peças para montagem de equipamento, bem como, a análise da desmontagem, reparos, trocar peças, dos componentes vitais de máquinas e equipamentos.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/148854

Vaga: Gerente Administrativo Financeiro

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Superior completo em Administração, Economia, Ciência Contábeis, Engenharia ou similares; Desejável Pós-Graduação em Gestão de Projetos, Finanças Corporativas, ou áreas afins; Experiência em Mineração, especialmente com projetos de implantação (Green Field); Experiência com software financeiro e estatístico, MS Excel e Power BI; Conhecimento em banco de dados financeiros e sistemas de Planejamento de Recursos Empresariais (ERP), Protheus preferencialmente.

Responsabilidades: Apoiar a gerência do projeto com informações econômicas e financeiras (Capex e Opex), controlando e monitorando os custos do projeto, bem como gerenciar a área de facilities (segurança patrimonial, manutenção e limpeza predial, manutenção de vias internas do site, alimentação, transportes coletivo e leve, central de transporte, hospedagem, construção e reforma de pequenas obras e gestão de contratos de serviços gerais).

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/149609

Vaga: Ferramenteiro (a)

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Ensino Médio Completo; Desejável Nível Técnico (Eletrotécnica ou Eletromecânica, Mecânica, Automação etc.).

Responsabilidades: Executar o recebimento, conferência, acondicionamento das ferramentas e materiais na ferramentaria; Fornecer ferramentas mediante requisições, controlando a movimentação de entrada, saída, manutenção, certificação de aferição; Controlar a qualidade dos serviços de terceiros no reparo das ferramentas, através do acompanhamento da performance da ferramenta e do prazo de validade da garantia dos serviços prestados; Apoiar na abertura de ordens de manutenções corretivas com a supervisão de frota; Realizar inspeções periódicas.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/148433

 

Vaga: Mecânico (a) de Manutenção Industrial lll

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Ensino Médio Completo; Escolaridade desejada: Técnico (Eletrotécnica ou Eletromecânica, Mecânica, Automação etc.); Conhecimento em desenhos técnicos, metrologia, hidráulica e pneumática.

Responsabilidades: Executar os serviços de manutenções preventivas e corretivas em equipamentos de beneficiamento de minério; Executar os passos dos procedimentos operacionais, para manter as boas condições de funcionamento; Coletar o óleo das máquinas, para análise de partículas e contaminantes; Efetuar o controle e acompanhamento de utilização e desgastes de componentes dos equipamentos; Executar a desmontagem, montagem, regulagem e ajuste de equipamentos, orientando-se por especificações técnicas; Efetuar a manutenção, preventiva e corretiva dos equipamentos diversos, reparando ou substituindo peças defeituosas.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/148453

Vaga: Eletricista (2 vagas) – Contrato por prazo determinado

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Ensino Médio Completo; Curso Profissionalizante de Elétrica; Desejável Nível Técnico e Pacote Office.

Responsabilidades: Executar atividades de ligações elétricas em painéis, tomadas e luminárias; Executar aterramento industrial e realizar conexões; Realizar inspeções de equipamentos elétricos no almoxarifado; Apoiar o supervisor de elétrica no campo; Dar suporte às atividades de elétrica nas unidades da empresa.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/146977

Vaga: Supervisor (a) de Produção

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Nível Superior em Engenharia (Metalúrgica, Química, Minas) ou Nível Técnico; Experiência em tratamento de minérios; Conhecimento em análise de processos produtivos.

Responsabilidades: Assegurar o cumprimento das metas de produção segura, meio ambiente e saúde ocupacional; Alinhar com as demais equipes sobre a produção, pendências de manutenção e administrativas, bem como as ocorrências relacionadas à segurança saúde e meio ambiente; Supervisionar e orientar a equipe de produção da planta de beneficiamento em seu turno de trabalho, acompanhando as variáveis do processo e seguindo os procedimentos estabelecidos; Solicitar as manutenções corretivas para os equipamentos do setor junto à supervisão da manutenção sempre que necessário; Acompanhar a produção diária, por meio de relatórios gerenciais, verificando os desvios e alinhando ações corretivas para o cumprimento do programa de produção; Emitir relatórios de produção, informando as ocorrências do turno e de inspeções de área e equipamentos; Contribuir para capacitação e desenvolvimento profissional dos membros da equipe, mediante levantamento de necessidades de treinamento, realizando treinamentos In Company e/ou apresentação de sugestões para treinamentos externos.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/145676

 

Vaga: Analista de Planejamento Financeiro Pleno

Local: Goiânia-GO

Requisitos: Ensino Superior Completo em Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Administração ou áreas afins; Desejável especialização na área; Experiência com classificação e lançamentos contábeis; Protheus (TOTVS), Excel Avançado e Power BI.

Responsabilidades: Colaborar na elaboração do planejamento financeiro, elaborar material de acompanhamento do Real x Orçado, além de executar este acompanhamento e reportar aos superiores; Participar da elaboração do orçamento anual, coletando informações e fazendo projeções de valores das despesas e receitas, visando planejar os gastos e faturamento; Analisar as informações lançadas no Banco de Dados e adequá-las visando à confecção de modelos de previsão de custos e informativo (evolução de contas) para outras áreas; Elaborar e analisar relatórios de acompanhamento orçamentário, controlando previsto e realizado bem como, analisar as variações ocorridas no mês, discutindo as causas com os responsáveis por cada unidade, possibilitando as correções necessárias (DRE, Fluxo de Caixa, Relatório de Custos e Despesas, dentre outros);

Acompanhar e parametrizar dados orçamentários no ERP da empresa; Responsável pelo módulo PCO – Protheus (TOTVS) e atualizações básicas de modelagem financeira.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/142425

 

Vaga: Operador(a) de Máquina II (2 vagas)

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Curso de Operador de Trator de Esteira e Pneus, Pá Carregadeira, Perfuratriz Hidráulica e Motoniveladora; Experiência comprovada em carteira de pelo menos um ano na função em minas de médio porte e que sigam as normas de operação do fabricante.

Responsabilidades: Executar as atividades nas operações de mina e infraestrutura na observância dos aspectos de segurança e proteção ao meio ambiente; Seguir as normas de operação do fabricante, trabalhar em regime de turno (finais de semana e feriados), seguir procedimentos e normas de segurança.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/146481

Vaga: Operador(a) de Máquina I (12 vagas)

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Curso de Operador de Caminhão Basculantes, Rolo compactador, Caminhão prancha, Caminhão Pipa; Experiência comprovada em carteira de pelo menos um ano na função em minas de médio porte e que sigam as normas de operação do fabricante.

Responsabilidades: Executar as atividades nas operações de mina e infraestrutura na observância dos aspectos de segurança e proteção ao meio ambiente; Seguir as normas de operação do fabricante, trabalhar em regime de turno (finais de semana e feriados), seguir procedimentos e normas de segurança.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/146480

 

Vaga: Coordenador (a) de Obras Civis

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Nível Superior em Engenharia Civil; Experiência com implantação de grandes projetos; Experiência com obras de mineração.

Responsabilidades: Coordenação e acompanhamento das obras civis em campo (obras de terraplanagem e obras em concreto); Leitura e interpretação de documentos e desenhos de obras civis; Descrição de documentação para contratação de serviços de engenharia e de construção civil e para compra de materiais e contratações de serviços; Coordenação da equipe de supervisores e técnicos responsáveis pela fiscalização de obras de empresas terceirizadas.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/145643

Vaga: Engenheiro (a) Mecânico (a) de Obras – Contrato por prazo determinado

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Superior Completo em Engenharia Mecânica; Experiência com controle e acompanhamento de obras de montagem mecânica de grande porte (estruturas metálicas, caldeirarias, tubulações, válvulas, motores, bombas, etc.), leitura e interpretação de projetos eletromecânicos e Gestão de Contratos; Experiência em Comissionamento e Start Up de plantas industriais e mineração; Desejável conhecimento em ensaios destrutivos e não destrutivos, atividades de soldagem, içamentos (Plano de Rigging), torqueamentos, MS Project e Autocad.

Responsabilidades: Supervisão na execução das atividades das obras de montagem mecânica, atestando se procedimentos internos (da SVPM e das empresas subcontratadas) estão sendo seguidos e se o trabalho está sendo devidamente documentado; Monitoramento dos Planos de Ação para mitigação das não conformidades; Geração de relatórios fotográficos, do andamento das obras e dos desvios ocorridos na execução dos trabalhos; Suporte técnico aos técnicos de campo; Consolidação das informações para repasse à coordenação da mecânica; Fiscalização quanto aos procedimentos de Plano de Rigging, SSMA, soldas, torqueamentos; Acompanhamento dos diários de obras, atas de reuniões e ações proativas nos claims; Acompanhamento do planejamento da montagem eletromecânica (leitura do cronograma).

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/145390

Vaga: Analista de Laboratório

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Nível Superior em Química ou áreas afins; Desejável Pós-Graduação em Gestão da Qualidade; Conhecimentos em: Análises via úmida, Análises instrumentais, Validação de metodologia analítica, ISO/IEC 17025:2017, Ferramentas controle de qualidade e Boas práticas em laboratório; Experiência em ICP-OES e ICP-MS será um diferencial; Pacote Office.

Responsabilidades: Acompanhamento, monitoramento, atualização, organização e elaboração das atividades desenvolvidas no laboratório, referente ao controle e garantia da qualidade, tendo como referência as diretrizes da Norma ISO 17025;  Auxílio no desenvolvimento (elaboração) e implantação dos documentos de operação e qualidade.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/145543

 

Vaga:  Gerente de Tesouraria

Local: Goiânia-GO

Requisitos: Nível Superior Completo em áreas afins; Experiência com processos de tesouraria, contas a pagar e contas a receber, gestão de fluxo de caixa e produtos de hedge cambial; Pacote Office e ERP Protheus.

Responsabilidades: Gestão da estrutura de capital (caixa, transações intercompany, cash management); Elaboração do orçamento de fluxo de caixa de curto, médio e longo prazo e coordenar as análises de variação do orçado versus o realizado; Emissão de relatórios financeiros de Cash Management; Reconciliação de pagamentos, contas a pagar e contas a receber locais e negociações com bancos; Gestão do fluxo de caixa (realizado vs orçado); Controle de Mútuos e AFAC; Gestão dos Seguros de D&O, Risco de Engenharia e RC Geral; Atendimento de auditorias interna e externa nos temas relacionados; Obrigações acessórias / Bacen RFB; Controle financeiro dos Aportes de Garantia e Liquidação na CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica); Due Dilligence de processos de M&A; Vivência na utilização do terminal Bloomberg.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/142700

Vaga: Técnico (a) de Segurança do Trabalho (2 vagas)

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Curso Técnico em Segurança do Trabalho; Experiência em Mineração; Conhecimento avançado em NR 22; Pacote Office.

Responsabilidades: Orientar e implantar o sistema de segurança do trabalho; Propor normas e dispositivos de segurança; Inspecionar os sistemas de combate a incêndios; Treinar os funcionários da empresa sobre normas de segurança.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/142255

 

 

Vaga: Engenheiro (a) de Produção

Local: Minaçu-GO

Requisitos: Nível Superior em Engenharia de Produção, Metalúrgica, Química ou Minas; Experiência em beneficiamento Mineral; Conhecimento em operações unitárias como Peneiramento, Lixiviação, Filtração, Precipitação e Espessamento; Pacote Office.

Responsabilidades: Elaborar/revisar procedimentos operacionais, bem como realizar o treinamento da equipe e assegurar o desdobramento para todos os níveis; Monitorar e atualizar KPI’s de gestão à vista; Dar suporte à coordenação na resolução de problemas como anomalias de processo e tratamento de não conformidades por meio de análises técnicas; Participar ativamente de Programas de Melhoria Contínua; Realizar testes na área operacional; Realizar inspeções diárias na área operacional; Analisar a operação diária, sugerindo modificações quando necessário; Elaborar relatórios técnicos; Participar das reuniões de programação de manutenção da planta.

As inscrições podem ser feitas no site: https://mineracaoserraverde.solides.jobs/vacancies/126230

Obs.: Todas as vagas da Mineração Serra Verde são abertas a PCD (Pessoas com deficiência).

Trabalhe conosco

Está procurando oportunidade?


Cadastre seu currículo em nosso banco de talentos para participar de nossos processos seletivos.


Contato

Quer entrar em contato conosco?

Dúvidas sobre nosso projeto, fornecedores, investidores, acesse nosso formulário de contato e fale conosco.















Nome:
E-mail:
Telefone:
Assunto:
Currículo:  Arquivo (doc, pdf, jpg)
Mensagem:
   

TERRAS RARAS

As Terras Raras têm usos industriais diversos, difundidos; no entanto, as Terras Raras mais valiosas são aquelas ligadas às tecnologias de ímãs usadas em veículos elétricos, turbinas eólicas e eletrônicos (Nd, Pr, Dy, Tb). As Terras Raras têm vários usos em veículos elétricos e turbinas eólicas. Espera-se que com o aumento previsto na eletrificação de veículos, ocorra também um aumento da demanda de Terras Raras. (ver Figura 3.6-3.8).

As Terras Raras também são usadas extensivamente em eletrônica, incluindo smartphones e tablets (veja a Figura 3.9). As Terras Raras é formada por 17 elementos químicos da tabela periódica, dos quais 16 são usados em smartphones. Especificamente, neodímio, térbio e disprósio, dão aos smartphones o poder de vibrar. O térbio e disprósio também são usados em telas sensíveis ao toque para produzir as cores de um display de telefone.

 

Mineração Serra Verde 

Av. do Comércio, 25, Ed. Concept Office, 13º andar.
Goiânia, GO, 74815-465 
T: +55 62 3923 9100
Email: [email protected]

Em breve.

Últimas Notícias

Veja abaixo nossas últimas matérias e notícias.

Notícias


IV Reunião Técnica com a Comunidade

 

Mineração Serra Verde realiza IV Reunião Técnica com a Comunidade

Evento será online e terá transmissão ao vivo no youtube e nas rádios locais

Minaçu (GO), 18 de maio de 2022 – Atuando de forma próxima às comunidades, a Mineração Serra Verde realiza, nesta quinta-feira (19), a IV Reunião Técnica com a Comunidade de Minaçu, Montividiu do Norte e Trombas. Por meio de uma transmissão ao vivo no canal do YouTube, às 19h, o vice-presidente da mineradora, Luciano Borges, informará o status do projeto de extração de terras raras.

Assim como nas outras edições, o executivo também falará sobre as expectativas e tirará dúvidas sobre os programas ambientais e sociais em desenvolvimento. “Acreditamos que manter diálogos transparentes e construir um bom relacionamento com a comunidade local é o caminho para o sucesso da mineradora e benefício de todos”, afirma Luciano Borges.

Além do formato online, que está sendo mantido devido à pandemia, o evento será transmitido pelos veículos locais Rádio Clube FM (105.9) e Rádio Serra da Mesa FM (105.1) para maior alcance de ouvintes.

 

IV Reunião Técnica com a Comunidade

Data: 19/5

Horário: 19h

Local: YouTube Serra Verde Pesquisa e Mineração

Nova frota de caminhões chega a Minaçu

Serra Verde realizou a compra de 21 veículos para desenvolvimento da mina


A Mineração Serra Verde recebeu em janeiro a nova frota de caminhões de transporte de minério e estéril, com 21 veículos que serão utilizados na operação de terras raras prevista para início ainda este ano. Tendo como objetivo se consolidar como uma das principais produtoras mundiais de terras raras do mundo, a empresa já contava com outras 21 máquinas pesadas, como escavadeiras, tratores e carregadeiras, recebidas em 2021.

“São caminhões automáticos, robustos e de ótima confiabilidade para a operação da mina que, em breve, vão contar com sistemas de monitoramento para análise dos componentes, desde a pressão e temperatura dos pneus, quantidade transportada, sistema de consumo de combustível e, para segurança e conforto dos operadores, até sistemas de anticolisão e gestão de fadiga (controle do sono). Esses veículos que têm capacidade de carga para 36 a 45 toneladas, estão entre os melhores do mercado”, explica Rudyard Santos, Coordenador de Manutenção de Frota da SVPM. Ele afirma que, neste primeiro semestre, 25% da nova frota será utilizada com mão de obra efetiva e, com a produção ativa da mina e planta de beneficiamento, haverá um acréscimo de cerca de 20 caminhões em 2023. “Devemos chegar a 100 equipamentos próprios”, conta.

De acordo com Luciano Borges, Vice-Presidente Executivo da Mineração Serra Verde, no ano passado, foi dado início ao desenvolvimento da construção da primeira abertura da futura mina. “Já estávamos utilizando caminhões fora-de-estrada, de grande porte (CAT 777), para cumprirmos com os prazos com maior eficiência, gastando menos combustível e emitindo menos CO₂. Queremos assegurar que, até nas mínimas atividades do projeto, a sustentabilidade, assim como a segurança, seja uma prioridade”, explica o executivo.

Com o novo maquinário, a mineradora também já começou a preparação para a retirada do solo orgânico, que é estocado para reposição e recuperação ambiental das áreas lavradas. “Nosso potencial de recursos para expandir a nossa participação na cadeia produtiva global é muito grande, e tenho certeza que este ano será ainda mais promissor”, finaliza Luciano Borges.

Serra Verde atenta à saúde mental dos colaboradores

Empresa reforça constantemente a importância do autoconhecimento e de uma vida equilibrada

Falar de saúde mental na vida pessoal já é difícil para muitas pessoas, no ambiente profissional é quase um tabu. Na Mineração Serra Verde, o assunto tem sido aberto a colaboradores com frequência, para desmitificar o preconceito e incentivá-los a procurar acompanhamento profissional, tanto para tratar problemas psicológicos já aparentes como para buscar o autoconhecimento. Como parte disso, a empresa realizou em fevereiro a palestra online “Manutenção da vida saudável: uma jornada necessária”.

O medo da repercussão negativa, a preocupação de ser visto como fraco e o receio de que a reputação e a carreira sejam afetadas, são algumas causas da fuga das pessoas em cuidar da saúde mental com psicólogos e até mesmo a buscar tratamento medicamentoso com psiquiatras, quando necessário. Transtornos de ansiedade, estresse, depressão e doenças psicossomáticas são consequências que prejudicam a produtividade e os relacionamentos interpessoais.

Segundo Renata Tavolaro, psicóloga e Head de Psicologia da OrienteMe, empresa contratada pela Serra Verde para oferecer psicoterapia aos colaboradores e respectivos dependentes, é importante que todos tenham respeito, empatia e acolham quem está em sofrimento. “Cansaço físico e mental, negatividade, sentimento de fracasso e insegurança são alguns sintomas que merecem a atenção do indivíduo, em se tratando de saúde mental”, acrescentou Renata durante a palestra aos colaboradores. Ela defende que a terapia é uma das ferramentas fundamentais para obter o equilíbrio emocional, principalmente daqueles que já estão em sofrimento. A também psicóloga e supervisora de desenvolvimento da Serra Verde, Michaella Guimarães, lembrou que o tema precisa receber atenção continuamente e deve ser tratado como prioridade. “A busca pela saúde mental deve ser diária”, afirmou.

IV Reunião Técnica com a Comunidade

 

Mineração Serra Verde realiza IV Reunião Técnica com a Comunidade

Evento será online e terá transmissão ao vivo no youtube e nas rádios locais

Minaçu (GO), 18 de maio de 2022 – Atuando de forma próxima às comunidades, a Mineração Serra Verde realiza, nesta quinta-feira (19), a IV Reunião Técnica com a Comunidade de Minaçu, Montividiu do Norte e Trombas. Por meio de uma transmissão ao vivo no canal do YouTube, às 19h, o vice-presidente da mineradora, Luciano Borges, informará o status do projeto de extração de terras raras.

Assim como nas outras edições, o executivo também falará sobre as expectativas e tirará dúvidas sobre os programas ambientais e sociais em desenvolvimento. “Acreditamos que manter diálogos transparentes e construir um bom relacionamento com a comunidade local é o caminho para o sucesso da mineradora e benefício de todos”, afirma Luciano Borges.

Além do formato online, que está sendo mantido devido à pandemia, o evento será transmitido pelos veículos locais Rádio Clube FM (105.9) e Rádio Serra da Mesa FM (105.1) para maior alcance de ouvintes.

 

IV Reunião Técnica com a Comunidade

Data: 19/5

Horário: 19h

Local: YouTube Serra Verde Pesquisa e Mineração

Nova frota de caminhões chega a Minaçu

Serra Verde realizou a compra de 21 veículos para desenvolvimento da mina


A Mineração Serra Verde recebeu em janeiro a nova frota de caminhões de transporte de minério e estéril, com 21 veículos que serão utilizados na operação de terras raras prevista para início ainda este ano. Tendo como objetivo se consolidar como uma das principais produtoras mundiais de terras raras do mundo, a empresa já contava com outras 21 máquinas pesadas, como escavadeiras, tratores e carregadeiras, recebidas em 2021.

“São caminhões automáticos, robustos e de ótima confiabilidade para a operação da mina que, em breve, vão contar com sistemas de monitoramento para análise dos componentes, desde a pressão e temperatura dos pneus, quantidade transportada, sistema de consumo de combustível e, para segurança e conforto dos operadores, até sistemas de anticolisão e gestão de fadiga (controle do sono). Esses veículos que têm capacidade de carga para 36 a 45 toneladas, estão entre os melhores do mercado”, explica Rudyard Santos, Coordenador de Manutenção de Frota da SVPM. Ele afirma que, neste primeiro semestre, 25% da nova frota será utilizada com mão de obra efetiva e, com a produção ativa da mina e planta de beneficiamento, haverá um acréscimo de cerca de 20 caminhões em 2023. “Devemos chegar a 100 equipamentos próprios”, conta.

De acordo com Luciano Borges, Vice-Presidente Executivo da Mineração Serra Verde, no ano passado, foi dado início ao desenvolvimento da construção da primeira abertura da futura mina. “Já estávamos utilizando caminhões fora-de-estrada, de grande porte (CAT 777), para cumprirmos com os prazos com maior eficiência, gastando menos combustível e emitindo menos CO₂. Queremos assegurar que, até nas mínimas atividades do projeto, a sustentabilidade, assim como a segurança, seja uma prioridade”, explica o executivo.

Com o novo maquinário, a mineradora também já começou a preparação para a retirada do solo orgânico, que é estocado para reposição e recuperação ambiental das áreas lavradas. “Nosso potencial de recursos para expandir a nossa participação na cadeia produtiva global é muito grande, e tenho certeza que este ano será ainda mais promissor”, finaliza Luciano Borges.

Serra Verde atenta à saúde mental dos colaboradores

Empresa reforça constantemente a importância do autoconhecimento e de uma vida equilibrada

Falar de saúde mental na vida pessoal já é difícil para muitas pessoas, no ambiente profissional é quase um tabu. Na Mineração Serra Verde, o assunto tem sido aberto a colaboradores com frequência, para desmitificar o preconceito e incentivá-los a procurar acompanhamento profissional, tanto para tratar problemas psicológicos já aparentes como para buscar o autoconhecimento. Como parte disso, a empresa realizou em fevereiro a palestra online “Manutenção da vida saudável: uma jornada necessária”.

O medo da repercussão negativa, a preocupação de ser visto como fraco e o receio de que a reputação e a carreira sejam afetadas, são algumas causas da fuga das pessoas em cuidar da saúde mental com psicólogos e até mesmo a buscar tratamento medicamentoso com psiquiatras, quando necessário. Transtornos de ansiedade, estresse, depressão e doenças psicossomáticas são consequências que prejudicam a produtividade e os relacionamentos interpessoais.

Segundo Renata Tavolaro, psicóloga e Head de Psicologia da OrienteMe, empresa contratada pela Serra Verde para oferecer psicoterapia aos colaboradores e respectivos dependentes, é importante que todos tenham respeito, empatia e acolham quem está em sofrimento. “Cansaço físico e mental, negatividade, sentimento de fracasso e insegurança são alguns sintomas que merecem a atenção do indivíduo, em se tratando de saúde mental”, acrescentou Renata durante a palestra aos colaboradores. Ela defende que a terapia é uma das ferramentas fundamentais para obter o equilíbrio emocional, principalmente daqueles que já estão em sofrimento. A também psicóloga e supervisora de desenvolvimento da Serra Verde, Michaella Guimarães, lembrou que o tema precisa receber atenção continuamente e deve ser tratado como prioridade. “A busca pela saúde mental deve ser diária”, afirmou.

Serra Verde inova e adota modelo de beneficiamento sustentável

O procedimento eliminou o uso de ácidos e reciclará 100% dos resíduos líquidos


O investimento em pesquisa para o desenvolvimento de processos mais sustentáveis revolucionou o modelo de beneficiamento de elementos de terras raras (ETRs) da Mineração Serra Verde. O planejamento, que inicialmente previa a lixiviação em pilha, ganhou uma nova linha de execução: lixiviação agitada em circuito fechado, técnica que dá nome ao Projeto AFL, sigla em inglês que remete ao método de lixiviação agitada associado à filtração. A técnica coloca a empresa em posições de notoriedade quando se trata das melhores práticas sustentáveis no setor da mineração.

Após a execução de testes em escala piloto, realizados em 2016 e 2017, confirmou-se a viabilidade operacional desse processo. A mudança é considerada um dos grandes marcos no desenvolvimento do projeto Serra Verde. Os ganhos variam no âmbito econômico, ambiental e de segurança operacional. A eliminação da utilização de ácido sulfúrico e hidróxido de sódio (ambos altamente tóxicos e corrosivos) reduziu substancialmente a possibilidade de ocorrência de impactos ambientais e riscos de acidentes pessoais graves, por exemplo.

O coordenador de laboratório Kilder Bernardes reforça que no aspecto ambiental, a adoção da técnica da lixiviação agitada, impactou, positivamente, no consumo da água. “Teremos o mínimo consumo do recurso hídrico, no qual a água utilizada no processo é 100% reaproveitada em um ciclo de reuso”. Além disso, a utilização de apenas três produtos químicos, sendo que nenhum é classificado como perigoso para a saúde humana ou para o meio ambiente, também compõe a lista de benefícios desse tipo de beneficiamento determinado pela Serra Verde.

Ausência de barragens de rejeitos
Comumente utilizadas para depositar a água e os resíduos gerados a partir do beneficiamento do minério, as polêmicas barragens de rejeitos não serão necessárias ao longo da operação da mina, devido à filtração e reutilização da água de processo. Como todo ele ocorrerá em circuito fechado, isso prevenirá a contaminação do solo e da água subterrânea. Todos os resíduos líquidos gerados na planta industrial também serão controlados initerruptamente.

O conceito de Lixiviação
O processo de lixiviação consiste em extrair substâncias de minerais do solo por mio de ataque ácido ou substituição iônica, o por meio da infiltração ou dissolução em um líquido, como a água em contato com o solo. No processo da Serra Verde, a lixiviação ácida foi substituída pela troca iônica, um método menos agressivo do ponto de vista químico e ambiental. Existem muitos métodos de lixiviação, e escolha depende principalmente do tipo de minério e da recuperação que se precisa alcançar para viabilizar o processo de extração do produto objetivado, um fator importante o teor do minério, isto é a percentagem do produto desejado contido no minério e a facilidade de se liberar esse produto, seja por dissolução ou troca iônica, em contato com um reagente. É que irá definir o emprego de um ou outro método. Considerações ambientais e o custo dos reagentes também são importantes nessa decisão.

Mineração Serra Verde disponibiliza terapia para funcionários e familiares

Iniciativa reforça a campanha do Janeiro Branco, que busca chamar a atenção para o tema da saúde mental

A realidade imposta pela pandemia fez com que casos de transtornos emocionais se agravassem em todos os países. Segundo pesquisa do Instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano. Preocupada com esta alarmante situação, a Mineração Serra Verde sentiu a necessidade de cuidar não somente da saúde física dos colaboradores, mas também da emocional e passou a disponibilizar sessões semanais de terapia para funcionários e seus familiares.

Por meio da plataforma OrienteMe, que possui 311 profissionais cadastrados e disponíveis para auxílio psicológico online, os funcionários da mineradora e seus dependentes legais têm direito a 4 sessões de terapia por mês, por videoconferência e com duração de 30 minutos cada, ou se assim preferirem, osfuncionários e seus familiares podem optar pela alternativa de fazerem 1 hora a cada 15 dias.

“A Mineração Serra Verde prioriza a saúde e o bem-estar dos colaboradores e de seus familiares, e isso ficou evidenciado durante a atual pandemia da Covid-19. No início, todos nós ficamos preocupados em como seria o trabalho em regime de home office, pensamos sobre adaptações, como ficariam os relacionamentos interpessoais e como as pessoas lidariam com o novo modelo. Logo começamos a refletir também sobre os impactos na vida profissional e familiar e o tema saúde mental ganhou mais notoriedade, em um cenário que se faz necessárias ações concretas para contribuir com a saúde dos empregados e parentes. Foi aí que buscamos um benefício para ajudar nossos colaboradores e suas famílias a superar os desafios de um mundo em constante mudança. Encontramos a OrienteMe, um programa completo de saúde mental corporativa, por meio de terapia online, e focado na saúde emocional e qualidade de vida das pessoas. Uma parceria perfeita!”, explica Valdeir Ferreira, Coordenador de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Mineração Serra Verde.

A medida é uma iniciativa que reforça a campanha do Janeiro Branco, que busca chamar a atenção para o tema da saúde mental no período em que as pessoas estão mais focadas em resoluções e metas para o ano. Na Mineração Serra Verde, o benefício, disponibilizado desde dezembro de 2021, será permanente, como o plano de saúde, e sem custo algum para o funcionário. “Além das 4 sessões, é possível trocar mensagens, de forma ilimitada, com o psicólogo. O pré-cadastro de todos os funcionários e seus familiares já foi feito. Agora, basta acessarem a plataforma para começar e, a cada nova admissão, é enviada a lista de novos colaboradores ativos e seus dependentes”, conta Michaella Guimarães, psicóloga e Supervisora de Desenvolvimento da Mineração Serra Verde.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a ansiedade afeta 18,6 milhões de brasileiros e os transtornos mentais são responsáveis por mais de um terço do número de pessoas incapacitadas nas Américas. “Fiquei maravilhada com o fato de a empresa ter abraçado esse projeto. É um cuidado que nunca tinha visto antes. Os colaboradores ficaram encantados”, finaliza a psicóloga.

Sobre a Mineração Serra Verde

A Mineração Serra Verde foi fundada em 2008, com o objetivo de desenvolver um projeto de concentrado de terras raras em nível de classe mundial a ser implantado no município de Minaçu, Estado de Goiás, Brasil.

 

Fonte da imagem: Freepik (https://url.gratis/roaAwU)

Mineração Serra Verde recebe Prêmio SESI

Mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia, muitas empresas têm enfrentado o momento com responsabilidade e zelo pelos funcionários. E devido ao protagonismo da mineradora durante o combate à Covid-19, por meio de diversas ações e implantação de melhorias no ambiente de trabalho, a Mineração Serra Verde celebra a conquista do 1º Prêmio SESI de Boas Práticas em Saúde, Segurança, Bem-estar e Qualidade de Vida no Trabalho, na categoria média empresa.

A iniciativa, realizada pelo SESI-GO, está alinhada às estratégias de apoio às indústrias goianas para reconhecer e desenvolver a cultura da segurança, saúde e qualidade de vida. “Para nós, é um orgulho e uma honra ganhar este prêmio. Celebramos não somente a atuação profissional e dedicada do nosso time de Saúde e Segurança, mas a vida de cada colaborador que se manteve protegida e segura durante estes meses difíceis de pandemia”, afirma Luciano Borges, vice-presidente executivo da Mineração Serra Verde.

Desde a chegada no novo coronavírus, a SVPM buscou capacitar todos os seus funcionários por meio de ações que enfatizavam a importância dos cuidados necessários para prevenção e combate à Covid-19. Com uma equipe de médicos consultores, infectologista, epidemiologista, enfermeiras e técnicas de enfermagem, formou-se a Brigada COVID-19. O grupo realizou testes nos colaboradores admitidos, em retorno de viagens, sintomáticos e contactantes de casos positivos, promoveu diálogos orientativos, criou um informativo semanal denominado “Gotas de Segurança” e passou a realizar auditorias externas trimestrais. Além disso, disponibilizou todos os recursos para proteção de seus colaboradores, tais como máscara KN95, dispensador com álcool em gel, termômetros infravermelho, tapetes sanitizantes, instalação de ventiladores/recicladores, entre outros itens de segurança.

Tornando-se a primeira mineradora do país certificada com o selo Safeguard Covid-19, que assegura práticas de prevenção por meio de protocolos de higiene e melhores práticas do mercado, a Mineração Serra Verde também assumiu o compromisso com a comunidade local ao doar testes rápidos, máscaras e álcool em gel para a Secretaria Municipal de Minaçu.

“Dos 130 colaboradores, apenas 14 foram infectados com o vírus, apresentando sintomas leves, o que comprovou a eficácia dos procedimentos de biossegurança implantados pelo time. Tivemos uma cobertura vacinal em 100% dos colaboradores com a 1º dose e 86% com a 2ª dose, até o presente momento.  Juntamente com a conscientização de todos, continuaremos obtendo resultados positivos”, finalizou o vice-presidente.

Sobre a Mineração Serra Verde

A Mineração Serra Verde foi fundada em 2008, com o objetivo de desenvolver um projeto de concentrado de terras raras em nível de classe mundial a ser implantado no município de Minaçu, Estado de Goiás, Brasil.

Mineração Serra Verde é eleita Empresa do Ano do Setor Mineral

A Mineração Serra Verde foi eleita como a Empresa do Ano do Setor Mineral na categoria Inovação & Tecnologia, premiação promovida pela Revista Brasil Mineral. Devido ao desenvolvimento da rota de processo menos poluente e de menor custo para aproveitamento de óxidos de terras raras, a Serra Verde se destacou como uma mineradora sustentável.

Serra Verde estimula a independência e o crescimento do comércio local

Empresa recomenda cumprimento rigoroso da legislação para efetivação de novos negócios.

O avanço das obras de implantação da Mineração Serra Verde tem movimentado a economia de Minaçu. Postos de combustíveis, papelarias, locadoras de imóveis e veículos, revendedores de materiais de limpeza, alimentação, e empresas especializadas em manutenção mecânica, elétrica, hidráulica, serviços de jardinagem e lava jato são alguns tipos de estabelecimentos que já se beneficiam do relacionamento com o empreendimento. O entendimento da importância do cumprimento de normas de saúde, segurança e meio ambiente e do protocolo de combate à disseminação da COVID-19 – associado a ofertas de preços pouco competitivos, tem sido ainda um obstáculo para que o quantitativo de fornecedores locais não seja ainda maior. Entretanto a empresa investe esforços para orientar e trabalhar com o comércio local.

De acordo com o especialista da área de Suprimentos Robes Oliveira, atender às exigências sanitárias, fiscais, tributárias e trabalhistas, do âmbito municipal ao federal, é pré-requisito para ser um fornecedor de produtos ou serviços. Ele esclarece que, embora alguns documentos requeridos sejam por vezes desconhecidos por parte de alguns empresários, e até julgados como desnecessários à primeira vista, a mineradora segue e estimula o cumprimento rigoroso de toda a legislação antes da formalização de relações contratuais. O especialista acrescenta que isso viabilizará, a longo prazo, o crescimento da economia local de forma sustentável. “Desde o início trabalhamos para que os fornecedores estejam aptos para vislumbrarem novos nichos de mercado e tenham economia autossustentável, ou seja, não estagnem sem a Serra Verde”, destacou.

Há quem já comemore a possibilidade de conquistar novos clientes. De acordo com Rosane Linhares, auxiliar administrativa do restaurante responsável pelo fornecimento de refeições à Serra Verde, responder aos requisitos legais preparou o restaurante para novas concorrências.  Ela destacou que graças às exigências feitas no início da parceria, a empresa estava pronta para concorrer, anos depois a uma proposta de outra empresa, que atrelado ao preço oferecido, culminou em um novo contrato de atuação em um refeitório industrial em Minaçu. Atualmente, a empresa também aguarda o resultado final de um processo de concorrência que participa para preparar as refeições numa usina hidrelétrica da região.

Seja um Fornecedor

Para se tornar fornecedor de produtos e serviços da Serra Verde há documentos comumente cobrados: Alvará de funcionamento, Certidão Negativa de Débitos, procedimentos em atendimento à legislação trabalhista como o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e o código CNAE (Classificação Nacional de Atividade Econômica) compatível com o serviço ou produto da proposta apresentada. O encaminhamento de documentos para análise “pré-cadastral” pode ser feito para o e-mail: [email protected]. Entretanto, o cadastro é realizado sob demanda, tendo como pré-requisito a participação da empresa nas cotações de preços encaminhadas ao mercado. Além disso, a recomendação é que os interessados estejam devidamente regularizados para agilidade no atendimento da oferta.

 

Banco de imagens: Freepik

Mineração Serra Verde ampliará a subestação de energia de Minaçu

Instalação de modernos equipamentos garantirão o serviço adequado a todos os usuários

A Subestação de Energia de Minaçu passará por um processo de modernização nas atuais instalações (retrofitting) e ganhará novos equipamentos. A ampliação da subestação tem como objetivo atender à solicitação de carga da Mineração Serra Verde e melhorar os índices de continuidade e condições operativas no município e região. Todas as adequações são custeadas e gerenciadas pela Mineração Serra Verde.

O complemento consiste em novos equipamentos de alta tensão, como transformadores de potência, chaves seccionadoras, painéis de supervisão e controle e automação, além de recursos técnicos para garantir a confiabilidade do sistema elétrico. As instalações dos novos equipamentos já começaram e a previsão é que tudo estará pronto para quando a mineradora iniciar a operação em 2022.

O coordenador de Manutenção Elétrica Reginaldo de Oliveira Vicente explicou que as obras de adequação e ampliação permitirão que todas as funções da subestação atuem de modo seguro e sem qualquer tipo de comprometimento no fornecimento de energia elétrica à comunidade ao longo da operação da empresa. “A ampliação garante uma saída específica de energia elétrica para o parque industrial da mineradora, sem prejudicar a confiabilidade atual. Isso com os mais modernos equipamentos disponíveis no mercado”, completou Reginado.

Etapas complementares

Para o fornecimento de energia elétrica durante a operação da mina, a Serra Verde contará não só com a subestação de Minaçu, mas também com uma subestação própria, instalação essa que transformará a alta tensão (138kV) em média tensão (13,8kV). A construção da unidade está em andamento na área pertencente ao complexo industrial na região do Pela Ema.

A interligação elétrica entre as duas subestações ocorrerá por meio da construção de uma Linha de Distribuição de Alta Tensão (LDAT) com extensão de aproximadamente 30 km. Todos os equipamentos necessários para a modernização e ampliação da subestação de Minaçu, construção da LDAT e implantação da subestação ALF já foram adquiridos pela Serra Verde.

“Atualmente estamos na fase de preparação do caminho por onde passará a linha de distribuição de alta tensão e abertura de acessos, necessária para instalação das estruturas metálicas e estruturas de concreto (postes). Tudo já devidamente licenciado pelos órgãos competentes”, destacou o gerente geral de Engenharia e Construção Wanderley Gil.

III Reunião Técnica com a Comunidade acontece dia 30/09

A Mineração Serra Verde realiza, dia 30/09 (quinta-feira), a III Reunião Técnica com a Comunidade. O evento ocorrerá online, via youtube, às 19 horas. O objetivo é apresentar os programas ambientais em desenvolvimento, o andamento da obra, curiosidade sobre o projeto e  esclarecer as principais dúvidas da população sobre a implantação e a previsão de operação do empreendimento. Esse diálogo com a comunidade será conduzido pelo vice-presidente executivo Luciano Borges.

O encontro virtual é direcionado, principalmente, a população de Minaçu, Montividiu do Norte e Trombas, regiões de interface com a Mineração Serra Verde, entretanto é oportunidade para todos que quiserem conhecer esse importante empreendimento para não só Goiás como para o país.

Outras duas reuniões já ocorreram no mesmo formato, sendo a primeira em setembro de 2020 e a segunda em maio deste ano.  Para não perder o horário agendado e participar ao vivo, se inscreva no canal e acione o sininho de notificações.

Em caso de dúvidas ou sugestões, envie um e-mail para [email protected] ou ligue para 0800 591 2751. Participe e envie o que você gostaria de saber sobre a primeira mineradora de terras raras do Brasil.

Mineração Serra Verde oferece cursos gratuitos em parceria com o Senai Minaçu

II Reunião Técnica do Projeto ALF

Primeira mina de Terras Raras no país – Matéria Publicada na Revista Brasil Mineral



Os desafios da mineração em Goiás – Matéria Publicada na Revista Brasil Mineral

Matéria Publicada na Revista Goiás Industrial

OBTENÇÃO DO SELO SAFEGUARD COVID-19 – BUREAU VERITAS

A Serra Verde Pesquisa e Mineração (SVPM) obteve o selo Safeguard COVID-19, emitido pela Bureau Veritas, referência mundial em serviços de avaliação de conformidade e certificação em saúde e segurança. A companhia desenvolve projeto de concentrado de terras raras em Minaçu (GO) e é a primeira do setor a receber a certificação.

A Bureau Veritas verifica todas as medidas preventivas necessárias como distanciamento social, intensificação da higiene, as condições de trabalho e conformidade com a legislação local, visando à abertura segura de empreendimentos em meio à nova realidade ocasionada pela pandemia. Para retomar as atividades paralisadas por causa da pandemia após a recente conquista da Licença de Instalação (LI), no fim do primeiro semestre, a SVPM concentrou seus esforços na adoção de rigorosos procedimentos de prevenção, com base nas melhores práticas nacionais e internacionais, seguindo as orientações dos órgãos de saúde. Só então a empresa optou por começar a construção do empreendimento minerário, que pode se tornar o primeiro de classe mundial para produção desses minerais estratégicos no Brasil.

“Em primeiro lugar, cuidamos para que todos os esforços fossem adotados, no sentido de garantir a saúde dos nossos colaboradores e seus familiares, de modo que pudéssemos contribuir também com a sociedade, levando orientações para dentro e fora da companhia sobre os cuidados para evitar o contágio da COVID-19. Esta certificação, para nós, é fundamental e demonstra que estamos no caminho certo, zelando por aqueles que estão ao nosso redor”, diz Luciano Borges, vice-presidente executivo da SVPM.  Segundo o executivo, a companhia buscou construir um ambiente seguro para colaboradores e a comunidade da qual a empresa faz parte, contando com o empenho das equipes no cumprimento das normas. “Criamos procedimentos com base nas experiências bem-sucedidas e inovamos para exceder as medidas e protocolos de higiene, limpeza e cuidados pessoais”.

A Serra Verde implantou um Comitê Interno de Monitoramento e Proteção à COVID-19, estabelecendo Protocolos de Segurança para seus funcionários, terceiros e parceiros em todas as áreas do empreendimento. As primeiras medidas adotadas foram a adequação do ambiente de trabalho, com o objetivo de manter o distanciamento garantindo mínimo de 1,5 metro; ações para evitar aglomerações; suspensão de eventos e treinamentos, por tempo indeterminado; disponibilização e obrigatoriedade no uso de itens de proteção como máscaras e álcool gel; constante testagem das equipes, acompanhamento médico adequado, entre outras.

Fonte: https://www.brasilmineral.com.br/noticias/obten%C3%A7%C3%A3o-do-selo-safeguard-covid-19

CONCLUSÃO DA SEGUNDA ETAPA DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL

INÍCIO DAS OBRAS DE ADEQUAÇÃO E MELHORIAS DA ESTRADA DE ACESSO À FUTURA UNIDADE DE PRODUÇÃO DA SERRA VERDE PESQUISA E MINERAÇÃO (SVPM)

Equipe da Serra Verde visita SENAI em Minaçu

No último dia 13, a equipe da SVPM, na ocasião representada por seu Diretor de Operações, Carlos Guedes e o Gerente de Projeto, Pitágoras Costa, juntamente com o Gerente de Geologia, Jorge Frutuoso e o Supervisor de Geologia, José Júnior, realizou visita técnica no SENAI em Minaçu, objetivando conhecer a infraestrutura e avaliar eventuais colaborações no futuro.

 

 

Minaçu, 14 de fevereiro de 2019.

Fonte: Comunicação SVPM

Confira notícia publicada no jornal O Hoje

Confira notícia publicada no Jornal Estadão

Nova Diretora Financeira (CFO) da Serra Verde

Goiânia, Fevereiro de 2019.

DAYSE GUELMAN: nova Diretora Financeira (CFO)

DAYSE CHRISTINA GUELMAN está assumindo o cargo de Diretora Financeira da Serra Verde Pesquisa e Mineração.

Estou muito feliz em anunciar este importante reforço a equipe de líderes da Serra Verde. A partir de 04/02/2019, DAYSE CHIRSTINA GUELMAN assumirá o cargo de Diretora Financeira (CFO).

DAYSE GUELMAN é graduada em Administração de Empresas e Ciências Econômicas, com especialização em Gestão de Negócios pela Fundação Dom Cabral, certificada em Liderança pelo Massachusetts Institute of Technology.

Com experiência de 28 anos na área de Finanças, atuou em renomadas empresas de mineração no Brasil, bem como em outros segmentos, participou de estruturações e reestruturações de processos financeiros, captando recursos e estabelecendo interfaces com investidores.

A Dayse se juntará a Serra Verde em um momento muito especial, momento no qual estaremos avançando com o nosso projeto ALF em Minaçu, Goiás.

 

Desejo à Dayse muito sucesso em sua nova etapa profissional!

 

ERIC NOYREZ

CEO

Nota à População de Minaçu e Municípios Vizinhos

SVPM se reúne com a comunidade de Minaçu

Serra Verde se reúne com a Comunidade de Minaçu

 

Entre os dias 22 e 24 de outubro, a pedido de autoridades locais, a Serra Verde, na ocasião representada por seu Vice-Presidente Executivo, Luciano Borges, acompanhado pelo Supervisor de Geologia e responsável local, José Júnior, o Coordenador de SSMA, Tiago Mauriz, a Coordenadora de RH, Cíntia Ferreira e o prestador de suporte Jurídico, Rodrigo Costa e, esteve  na cidade de Minaçu para participar de reuniões com a Comunidade a fim de informar o status do Projeto ALF.

No dia 22, os representantes da Serra Verde participaram da sessão na Câmara dos Vereadores, a qual foi transmitida ao vivo por emissora de rádio local, no dia 23 se reuniram com as Comunidades do Distrito de Cana Brava (Filó) e do Patrimônio do Vicente e, no dia 24, concederam uma coletiva de imprensa para as rádios locais.

 

   

 

 

 

Comunicação

Serra Verde

Mineração Serra Verde names Eric Noyrez as Chief Executive Officer

For Immediate Release

 

MINERAÇÃO SERRA VERDE NAMES ERIC NOYREZ

AS CHIEF EXECUTIVE OFFICER

 

Industry veteran and board of director member will lead

Brazilian rare earth project into next phase

 

Goias State, Brazil — [5 September, 2018] — Mineração Serra Verde (MSV), an advanced development stage rare earth project in central Brazil, announced that it has appointed Eric Noyrez to Chief Executive Officer.

 

Leading Project Milestones

Previously a member of the MSV Board of Directors, Noyrez was instrumental in many of the project’s recent milestones including achieving industrially representative piloting and product acceptance.

 

“Since joining the team in 2017, my focus has been to deliver the project on time and within budget, while also ensuring we’re producing a strongly sustainable new source of competitive rare earths,” said Noyrez, who previously served in several executive roles at Lynas Corporation Limited. “We’ve achieved our goals to-date but must continue strengthening our team as well as find partners who can help us take the Serra Verde project to the next phase. I’m very excited about what is to come and am looking forward to my new role with MSV.”

 

Noyrez previously was also tasked with moving the project further toward implementation and oversaw a four-month long evaluation process to select an engineering firm. Currently, he is working to recruit an experienced industrial project development and operations team to continue the project’s progress, in addition to selecting equipment suppliers.

 

“Construction will start in early-2019, so right now we working to get the right partners in place and have already issued an RFP for suppliers. We are serious about this next phase and, thanks to the continued support of our capital partner Denham Capital, confident the project will soon be brought into production,” added Noyrez.

 

 

The Serra Verde Deposit

Located in the State of Goias, an established mining region, Serra Verde hosts an NI 43-101-compliant resource of 911 million tonnes @ 0.12 percent TREO (based on an exploration area representing approximately 15 percent of the overall Serra Verde deposit area), with high-value critical and heavy rare earths representing more than 60 percent of the resource.

 

Serra Verde’s ionic clay mineralogy is analogous to the mineralogy currently detained by market-dominating southern China producers, but with rare earth grades three times higher than the average of those deposits, and ore volume 10 times larger. The Serra Verde deposit also benefits from access to roads, water and power within 40 kilometers of the site, plus community support.

 

The region’s high-value rare earth mix is consistent with projected demand growth from next-generation applications ranging from clean energy and hybrid vehicles to high-performance consumer electronics, industrial and military applications.

 

In 2017, samples tested were approved as market compliant at all major Rare Earth separators, receiving positive feedback from industry leaders. The project is currently preparing for the engineering phase and is expected to start commercial operations in 2020.

 

About Serra Verde

Mineração Serra Verde is an advanced development stage rare earth project located near Brasilia, in the State of Goias, a mining friendly jurisdiction. The size of the resource and the project’s ionic clay geology and freely liberated mineralization is similar in geology to the well-known heavy rare earth Chinese deposits.  The weathered rock, saprolite ore allows for open pit, truck-and-shovel extraction — providing for cheaper, simpler processing and lower capex versus peers.  Further, a large portion of the deposit is comprised of heavy and critical rare earths, which have a higher value as compared to light rare earths, giving the project the potential to challenge China’s dominance of the heavy and critical rare earth market.

 

About Denham Capital

Denham Capital is a leading energy and resources-focused global private equity firm with more than $9 billion of invested and committed capital across nine fund vehicles and offices in Perth, Houston, London and Boston. In the Mining sector, the firm partners with experienced management teams with proven track records to acquire companies and assets in the metals and minerals sectors that are close to or already in production. Denham targets investments in base metals, metallurgical coal, and industrial and specialty minerals in Australia, Canada, South America and Africa. In addition to Mining Ventures Brasil, Denham’s mining portfolio includes Auctus Minerals, a Perth-based company developing mining assets throughout Australia; Pangea Limited, an African-based company targeting mining assets across all stages of the project life cycle;  Pembroke Resources, a team focused on acquiring and developing metallurgical coal assets in the Asia-Pacific region; Santiago Metals, a Chilean mining venture; and Stellar Mining, a mining and exploration company in Peru. For more information about Denham Capital, visit www.denhamcapital.com.

 

Media Contact:

Krystal Patout

Phone: +1 713 627-2223

Email:   [email protected]

Audiência Pública – 2017

Serra Verde discute projeto

MINAÇU – Mineradora se prepara para implantar planta de extração e beneficiamento de terras raras e realiza audiência pública em que mostra potencialidades do empreendimento.

Comunidade lotou templo evangélico durante Audiência Pública da Mineradora Serra Verde em Minaçu.

Aproximadamente cinco mil pessoas, segundo estimativa dos organizadores, participaram na quinta-feira (27) de uma Audiência Pública realizada em Minaçu referente ao Licenciamento Ambiental do Projeto de Extração e Beneficiamento de Terras Raras da Mineradora Serra Verde, na Região do Pela Ema. O evento aconteceu no templo principal da Igreja Evangélica Assembleia de Deus e contou com as presenças de três prefeitos: Agenor Nick Barbosa, de Minaçu; Jacira Martins Fernandes, a Cirinha da Farmácia; de Montividiu do Norte e Agostinho da Nóbrega Rodrigues, de Trombas. A primeira-dama de Minaçu, Maria Lúcia, também participou. Durante a audiência pública, os gestores da mineradora Serra Verde falaram das potencialidades do empreendimento em relação à geração de emprego e renda para a sociedade e para os municípios e também mostraram como estão processo de estruturação da unidade.

Presidente e CEO Luciano de Freitas: Exposição sobre as potencialidades.

 

A Serra Verde Pesquisa e Mineração Ltda é uma empresa que surgiu de um projeto iniciado pela Mining Ventures Brasil, uma companhia controlada pela Denham Capital Management LP, uma empresa internacional especializada no desenvolvimento de projetos de exploração de recursos naturais, com participação minoritária da Arsago Mining Capital (BVI) Ltda, um grupo suíço com foco em empreendimentos no Brasil. De acordo com o presidente e CEO da mineradora, Luciano de Freitas Borges, o Projeto Serra Verde encontra-se em estágio avançado de desenvolvimento, aguardando a conclusão dos processos de licenciamento ambiental para dar seguimento às atividades necessárias para a implantação, a partir da obtenção da eventual Licença de Implantação, que corresponde a segunda fase do processo de licenciamento ambiental, e que autoriza a construção do empreendimento. Ele disse que no depósito mineral na região do Pela Ema, localizado em Minaçu e com extensões para os municípios de Trombas e Montividiu do Norte, está provavelmente o maior depósito de terras raras em argilas iônicas do Hemisfério Ocidental e o objetivo da Mineradora Serra Verde é se tornar uma referência internacional de fornecimento de Terras Raras de alta qualidade, produzidas sobretudo com respeito ao meio ambiente, visando ao atendimento da demanda crescente por esses metais e à busca de alternativas de fornecimento fora da China, que hoje controla, de forma quase monopolística, a oferta de terras raras ao mercado global.” A exploração os recursos naturais, minerais e energéticos, antes de ser um bom negócio para um empreendedor qualificado, é um imperativo para a sobrevivência, a segurança e o bem-estar da comunidade humana, exigindo, por isso, regras e práticas específicas que assegurem o atendimento de todas as dimensões que integram o conceito do Desenvolvimento Sustentável. O empreendedorismo e a criatividade das pessoas são as principais alavancas para enfrentar os grandes problemas econômicos contemporâneos: o aumento da produção, com a preservação da qualidade ambiental e o respeito à integridade sociocultural das comunidades. A sustentabilidade de qualquer empreendimento está intrinsecamente ligada à boa governança corporativa, prática que prioriza, igualmente, os objetivos econômicos perseguidos pelos acionistas e investidores, o cuidado com o meio ambiente e o desenvolvimento de relações sólidas de parceira e compartilhamento de benefícios com todos os agentes sociais, individuais ou coletivos, que integrem tanto a cadeia produtiva quanto o meio social” disse o presidente Luciano. Nas parcerias com os municípios, a Serra Verde pretende investir na qualificação e treinamento de recursos humanos locais; fortalecer cadeias regionais de fornecimento, dando preferência à aquisição de produtos e serviços de origem local; participar das atividades de relevância social e dar apoio a projetos culturais, assim como manter o diálogo permanente com os agentes sociais interessados nos projetos da empresa. Na fase de implantação, a previsão é que a Mineradora Serra Verde consiga algo em torno de mil empregos diretos e mais de três mil indiretos, o que deve ocorrer num período de 18 meses, segundo informações dos empreendedores. Já na fase de operacionalização, a Serra Verde prevê a geração de 800 postos de trabalho de forma direta e 1.600 empregos indiretamente. O empreendimento deverá gerar aproximadamente R$ 14,4 milhões por ano em receitas fiscais CFEM – Recolhimento Corrente/Parcelas Manuais/Permissão Lavra Garimpeira; ISS – Imposto Sobre Serviços; ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Prestação de Serviços; e mais receitas não fiscais, que são pagamentos de salários, compras no comércio, produtos e serviços. O prefeito Nick Barbosa disse que o lançamento do projeto da Mineradora Serra Verde significa o abrir de novas portas de trabalho e a garantia de mais renda para Minaçu em um momento crítico economicamente que atinge todos os municípios brasileiros, porém ele esclareceu que a arrecadação do município só irá aumentar a partir do momento em que a produção de minério for efetivamente iniciada. O prefeito ressaltou que não está no cargo por um simples acaso e lembrou à comunidade o empenho do governador Marconi Perillo e do secretário Vilmar Rocha em relação ao empreendimento. A prefeita Cirinha da Farmácia acrescentou que assim como o município de Minaçu, as cidades de Montividiu do Norte e de Trombas também serão beneficiadas com a chegada da mineradora e demonstrou otimismo em relação às mudanças econômicas que poderão ocorrer já a partir do processo de implantação do projeto e, principalmente, na fase de operacionalização da exploração das Terras Raras. O prefeito Agostinho explicou que na cidade de Trombas a geração de emprego está praticamente polarizada nas vagas de trabalho oferecidas pela prefeitura e por uma indústria cerâmica de argila vermelha. Ele disse que devido às dificuldades enfrentadas pelos profissionais para inserção no mercado de trabalho, as portas abertas pela mineradora serão fundamentais para alavancar a economia do município. No fim da audiência, a comunidade fez questionamentos e tirou dúvidas com os gestores sobre vários temas, como a implantação de projetos ambientais, processo de contratações de funcionários e o pagamento de indenizações aos proprietários rurais. As pesquisas identificaram na Região do Pela Ema os seguintes minerais: Biotita Microclina Granito (BAG); Muscovita Albita Granito (MBALG); Biotitito (BIO); Saprolito de Biotita Microclina Granito (SBAG); Saprolito de Muscovita Albita Granito (MBALG); e Saprolito de Biotitito (BIO). Também participaram da Audiência Pública: o presidentes da Câmara Municipal de Minaçu, vereador Admilson Seabra Campos; e de Montividiu do Norte, Divino Ribeiro de Moraes; o superintendente de Mineração da Secretaria de Desenvolvimento, Tasso Mendonça Júnior; Emmanuel Bandeira, da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos; Vaidijon Estrela, do Departamento Nacional de Produção Mineral; e o engenheiro Nelson Siqueira Jr., da empresa DBO Engenharia. Mineradora se prepara para implantar planta de extração e beneficiamento de terras raras e realiza audiência pública em que mostra potencialidades do empreendimento.

 

Data: 01/05/2017

 

Texto e fotos: Pedro Gomes

Fonte: Jornal Diário do Norte

Ambiente de negócio fica mais favorável – 2018

Ambiente de negócio fica mais favorável

 

 

O governo federal, com a edição de decretos, além da mudança na distribuição da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), trouxe novas normas como determinação para fechamento de minas após a exploração. As normas foram bem avaliadas pelo mercado por estarem próximas às praticadas internacionalmente e por deixar o ambiente mais favorável aos negócios.

Segundo o presidente da Câmara Setorial da Mineração da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Wilson Antonio Borges, a atualização do Código de Mineração (em vigor há mais de 50 anos) em conjunto com a aprovação da legislação da CFEM e criação da Agência de Mineração (ANM) são passos importantes para o programa de revitalização da indústria. “A obrigação de recuperar áreas ficou clara, há atualização de conceitos com padrão internacional, boas práticas regulamentadas como responsabilidade do minerador, empreendedor.”

“Outro ponto importante é a oferta de área por meio de seleção e julgamento com critérios objetivos para dar dinamismo, acabou com filas, haverá leilão, permite agora a continuação de pesquisa após o relatório final, com objetivo de converter recursos em reservas”, cita.

Assim, ele pontua que as mudanças possibilitam melhores práticas e segurança jurídica que há anos o setor esperava. O que resulta na viabilização de pesquisa em novas áreas, mais investimentos e Goiás tem destaque nacional na atividade de tanta importância econômica. Assim, a expectativa é de que grandes projetos voltem a ser desenvolvidos no Estado conforme ocorra também reaquecimento dos preços dos produtos.

Para o diretor de Assuntos Estratégicos da Amarillo Mineração do Brasil (que tem projeto de exploração de ouro em Mara Rosa com previsão de implantar em 2020), Arao Portugal, a dificuldade de conseguir investidores esta pautada na insegurança jurídica e no momento político do País. No caso da insegurança, as mudanças ajudam, mas impacta com aumento de custo. Já para o vice-presidente executivo da Serra Verde (com projeto de terras raras em Minaçu), Luciano de Freitas Borges, há melhorias nos parâmetros e regras de fácil aplicabilidade que auxiliarão o setor que está tão presente no dia a dia.

Data: 13/06/2018

Texto: Katherine Alexandria

Fonte: O Popular

Fotos: Floriano Rios

Nova equipe assume na SVPM – 2018

TERRAS RARAS

Nova equipe assume na Serra Verde

 

 

A Serra Verde Pesquisa e Mineração Ltda., o empreendimento de maior êxito da Mining Ventures Brasil, um projeto controlado pela Denham Capital, deu início aos primeiros passos para o desenvolvimento e construção de seu projeto de Terras Raras em argilas iônicas, o primeiro depósito deste tipo descoberto nas Américas.

Localizado no tradicional distrito mineiro de Minaçu, situado no extremo no Norte de Goiás, o Projeto Serra verde possui um gigantesco depósito de classe mundial de terras raras em argila iônica, similar aos depósitos conhecidos no sul da China, os quais respondem por mais de 65% do suprimento mundial de terras raras.

O Projeto Serra verde compreende cerca de 60 mil hectares de direitos minerários, onde apenas em sua porção sul (cerca de 18% da área total), já foram confirmados recursos de mais de 1,3 bilhão de toneladas de minério com teor médio de 0,15% de óxido de terras raras totais (TREO) dos quais 911 milhões de toneladas estão certificadas segundo as normas internacionalmente aceitas  (NI 43-101).

Como os trabalhos exploratórios já permitem assegurar recursos econômicos suficientes para sustentar a implantação e um projeto de classe mundial — o qual, inclusive, já recebeu a Licença Prévia ambiental, em setembro de 2017 — a companhia resolveu reestruturar sua equipe de gestão, reforçando o seu bem-sucedido time de exploração e desenvolvimento de processo com profissionais  alto nível, com expertise internacionalmente conhecida no desenvolvimento de projetos e na comercialização de terras raras.

A nova equipe é liderada pelo engenheiro Eric Noyrez, ex-CEO da Lynas e ex-diretor de terras Raras da Rhodia. Na condição de novo CEO da Serra Verde, Eric é responsável pela estratégia de negócios, além da administração geral da companhia. A implementação do projeto está a cargo do novo diretor de operações (COO), o engenheiro José Carlos Guedes Rosado, um experiente profissional brasileiro, que foi responsável pela construção das unidades da segunda fase do projeto da Lynas, na Austrália e na Malásia, além de vários projetos da Rhodia em diversos países, incluindo a China. A área comercial foi reforçada com a vinda de Michael Zhu (CCO- Diretor Comercial), ex-gerente geral da Rhodia na China e membro honorário da Associação Nacional de Terras Raras da China, instituição que coordena a política de terras raras daquele país. O ex-CEO Luciano Borges assumiu a vice-presidência executiva, respondendo pelas relações institucionais, além da supervisão administrativa e dos processos de licenciamento ambiental e mineral.

Da mesma forma que a Serra Verde representa uma nova fase para a indústria brasileira de Terras Raras, que praticamente desapareceu em meados da década de 1980, esse novo time representa uma nova fase para o Projeto Serra Verde, como explica seu presidente, na entrevista a seguir.

 

BRASIL MINERAL – Quais foram os principais motivos que levaram a empresa a apostar no projeto? 

ERIC NOYREZ – Em primeiro lugar, a qualidade do depósito mineral e a facilidade de se extrair as Terras Raras, por meio de um processo totalmente comprovado e de ambientalmente sustentável.

 

BM – Como está o cronograma de implantação do empreendimento?

NOYREZ – O cronograma inicial previa o início da produção para 2017. A extensão dos estudos ambientais, a par da delegação de competência do licenciamento ambiental do IBAMA para a Secretaria de Meio Ambiente de Goiás- SECIMA, deu-nos segurança para atualizarmos nosso novo cronograma, que prevê iniciar a produção até, pelo menos, o início de 2021. Atualmente, nossos esforços estão concentrados no atendimento das exigências da Licença (ambiental) Prévia, assim como no desenvolvimento da Engenharia do Projeto, para o que contratamos o suporte de uma companhia de internacional, de classe mundial, que atua no Brasil.

 

BM – Quais são os principais diferenciais do projeto no segmento de terras raras?

NOYREZ – Nossos principais diferenciais são o tipo de mineralização e qualidade do minério (volume, teor e alta concentração de Terras Raras críticas e pesadas); a localização em um distrito mineiro tradicional, com boa infraestrutura e suporte da comunidade local e estadual; processo de tratamento em circuito fechado, com reciclagem total da água e dos reagentes empregados no processo, assegurando um baixíssimo impacto ambiental; e o suporte da comunidade; além da excelente qualidade do minério e da ausência de resíduos radioativos, comumente associados aos outros tipos de depósitos e minérios de terras raras. Tudo isso coroado por uma melhoria de processo, que resultou em um processo inovador e eficiente, desenvolvido e testado dentro da própria empresa, por nossa equipe.

 

BM – Qual o volume de investimentos previstos, onde se darão os principais aportes e como a empresa está fazendo o funding?

NOYREZ – Até aqui, foram investidos em pesquisa mineral, estudos ambientais e desenvolvimento de processo cerca de US$ 72 milhões. Para a fase de desenvolvimento e implantação, até o início da produção, estão programados mais US$ 150 milhões. Todo o investimento se deu por meio de um fundo de investimento, sem endividamento, mediante “equity”, através de um fundo de investimentos especializado.

 

BM – Como a empresa pretende atuar no mercado de terras raras e quais são suas vantagens competitivas?

NOYREZ – O mercado vem crescendo em um ritmo superior à capacidade de oferta dos recursos disponíveis. As Terras Raras são usadas para suprir as necessidades de demandas tecnológicas tradicionais (limpeza de emissões automotivas, crackeamento e refino de petróleo, equipamentos de imageamento médico etc.), porém muito mais intensamente nas principais tecnologias avançadas em ascensão, como motorização de veículos híbridos e elétricos, smartphones, turbinas eólicas para produção de energia elétrica, produção de super-imãs para aplicações diversas, etc). A estratégia da companhia inclui a celebração de contratos de off-take, de longo prazo, com alguns clientes estratégicos, selecionados entre os principais provedores de soluções tecnológicas e produtos que compõe o segmento “downstream” da cadeia econômica global de terras raras.

Nosso depósito mineral e nosso processo nos permitem competir, em pé de igualdade, com os custos dos melhores e mais competitivos fornecedores do mercado atual, e mantermos um projeto sustentável tanto em termos da produção inicial, quanto sob ponto de vista de todo o ciclo de vida da nossa mina.

 

BM – Como analisa as condições do Brasil para um projeto desse tipo?

NOYREZ – Primeiramente, o Brasil é o quarto maior produtor mundial de bens minerais e, como tal, possui um elevado nível de compreensão e de práticas de gestão relacionados à indústria mineral.  Se de um lado há um elevado nível de exigências legais e regulatórias, de outro há um forte suporte político-social aos projetos de alta qualidade, como, por exemplo, clareza e estabilidade das regras aplicadas à gestão dos direitos minerários, características que representam uma barreira de entrada significativa, mas que nós apreciamos e valorizamos, em razão dos valores e das práticas que norteiam nossa filosofia empresarial.

Nossa equipe, bastante experiente tanto no desenvolvimento e implementação quanto na operação de empreendimentos mineiros, sempre construiu projetos melhores e maiores do que o padrão médio mundial, empregando os melhores processos disponíveis e as técnicas de produção mais “limpas” e sustentáveis. E essa tem sido a principal razão do nosso sucesso no segmento em que operamos, já há algumas décadas.

 

Data: 05/07/2018

 

Fonte: Brasil Mineral

Oficina de ovos de Páscoa e chocolate para a comunidade

Nova frota de caminhões chega a Minaçu

Serra Verde realizou a compra de 21 veículos para desenvolvimento da mina

A Mineração Serra Verde recebeu em janeiro a nova frota de caminhões de transporte de minério e estéril, com 21 veículos que serão utilizados na operação de terras raras prevista para início ainda este ano. Tendo como objetivo se consolidar como uma das principais produtoras mundiais de terras raras do mundo, a empresa já contava com outras 21 máquinas pesadas, como escavadeiras, tratores e carregadeiras, recebidas em 2021.

“São caminhões automáticos, robustos e de ótima confiabilidade para a operação da mina que, em breve, vão contar com sistemas de monitoramento para análise dos componentes, desde a pressão e temperatura dos pneus, quantidade transportada, sistema de consumo de combustível e, para segurança e conforto dos operadores, até sistemas de anticolisão e gestão de fadiga (controle do sono). Esses veículos que têm capacidade de carga para 36 a 45 toneladas, estão entre os melhores do mercado”, explica Rudyard Santos, Coordenador de Manutenção de Frota da SVPM. Ele afirma que, neste primeiro semestre, 25% da nova frota será utilizada com mão de obra efetiva e, com a produção ativa da mina e planta de beneficiamento, haverá um acréscimo de cerca de 20 caminhões em 2023. “Devemos chegar a 100 equipamentos próprios”, conta.

De acordo com Luciano Borges, Vice-Presidente Executivo da Mineração Serra Verde, no ano passado, foi dado início ao desenvolvimento da construção da primeira abertura da futura mina. “Já estávamos utilizando caminhões fora-de-estrada, de grande porte (CAT 777), para cumprirmos com os prazos com maior eficiência, gastando menos combustível e emitindo menos CO₂. Queremos assegurar que, até nas mínimas atividades do projeto, a sustentabilidade, assim como a segurança, seja uma prioridade”, explica o executivo.

Com o novo maquinário, a mineradora também já começou a preparação para a retirada do solo orgânico, que é estocado para reposição e recuperação ambiental das áreas lavradas. “Nosso potencial de recursos para expandir a nossa participação na cadeia produtiva global é muito grande, e tenho certeza que este ano será ainda mais promissor”, finaliza Luciano Borges.

Serra Verde atenta à saúde mental dos colaboradores

Empresa reforça constantemente a importância do autoconhecimento e de uma vida equilibrada

Falar de saúde mental na vida pessoal já é difícil para muitas pessoas, no ambiente profissional é quase um tabu. Na Mineração Serra Verde, o assunto tem sido aberto a colaboradores com frequência, para desmitificar o preconceito e incentivá-los a procurar acompanhamento profissional, tanto para tratar problemas psicológicos já aparentes como para buscar o autoconhecimento. Como parte disso, a empresa realizou em fevereiro a palestra online “Manutenção da vida saudável: uma jornada necessária”.

O medo da repercussão negativa, a preocupação de ser visto como fraco e o receio de que a reputação e a carreira sejam afetadas, são algumas causas da fuga das pessoas em cuidar da saúde mental com psicólogos e até mesmo a buscar tratamento medicamentoso com psiquiatras, quando necessário. Transtornos de ansiedade, estresse, depressão e doenças psicossomáticas são consequências que prejudicam a produtividade e os relacionamentos interpessoais.

Segundo Renata Tavolaro, psicóloga e Head de Psicologia da OrienteMe, empresa contratada pela Serra Verde para oferecer psicoterapia aos colaboradores e respectivos dependentes, é importante que todos tenham respeito, empatia e acolham quem está em sofrimento. “Cansaço físico e mental, negatividade, sentimento de fracasso e insegurança são alguns sintomas que merecem a atenção do indivíduo, em se tratando de saúde mental”, acrescentou Renata durante a palestra aos colaboradores. Ela defende que a terapia é uma das ferramentas fundamentais para obter o equilíbrio emocional, principalmente daqueles que já estão em sofrimento. A também psicóloga e supervisora de desenvolvimento da Serra Verde, Michaella Guimarães, lembrou que o tema precisa receber atenção continuamente e deve ser tratado como prioridade. “A busca pela saúde mental deve ser diária”, afirmou.

Serra Verde inova e adota modelo de beneficiamento sustentável

O procedimento eliminou o uso de ácidos e reciclará 100% dos resíduos líquidos

O investimento em pesquisa para o desenvolvimento de processos mais sustentáveis revolucionou o modelo de beneficiamento de elementos de terras raras (ETRs) da Mineração Serra Verde. O planejamento, que inicialmente previa a lixiviação em pilha, ganhou uma nova linha de execução: lixiviação agitada em circuito fechado, técnica que dá nome ao Projeto AFL, sigla em inglês que remete ao método de lixiviação agitada associado à filtração. A técnica coloca a empresa em posições de notoriedade quando se trata das melhores práticas sustentáveis no setor da mineração.

Após a execução de testes em escala piloto, realizados em 2016 e 2017, confirmou-se a viabilidade operacional desse processo. A mudança é considerada um dos grandes marcos no desenvolvimento do projeto Serra Verde. Os ganhos variam no âmbito econômico, ambiental e de segurança operacional. A eliminação da utilização de ácido sulfúrico e hidróxido de sódio (ambos altamente tóxicos e corrosivos) reduziu substancialmente a possibilidade de ocorrência de impactos ambientais e riscos de acidentes pessoais graves, por exemplo.

O coordenador de laboratório Kilder Bernardes reforça que no aspecto ambiental, a adoção da técnica da lixiviação agitada, impactou, positivamente, no consumo da água. “Teremos o mínimo consumo do recurso hídrico, no qual a água utilizada no processo é 100% reaproveitada em um ciclo de reuso”. Além disso, a utilização de apenas três produtos químicos, sendo que nenhum é classificado como perigoso para a saúde humana ou para o meio ambiente, também compõe a lista de benefícios desse tipo de beneficiamento determinado pela Serra Verde.

Ausência de barragens de rejeitos
Comumente utilizadas para depositar a água e os resíduos gerados a partir do beneficiamento do minério, as polêmicas barragens de rejeitos não serão necessárias ao longo da operação da mina, devido à filtração e reutilização da água de processo. Como todo ele ocorrerá em circuito fechado, isso prevenirá a contaminação do solo e da água subterrânea. Todos os resíduos líquidos gerados na planta industrial também serão controlados initerruptamente.

O conceito de Lixiviação
O processo de lixiviação consiste em extrair substâncias de minerais do solo por mio de ataque ácido ou substituição iônica, o por meio da infiltração ou dissolução em um líquido, como a água em contato com o solo. No processo da Serra Verde, a lixiviação ácida foi substituída pela troca iônica, um método menos agressivo do ponto de vista químico e ambiental. Existem muitos métodos de lixiviação, e escolha depende principalmente do tipo de minério e da recuperação que se precisa alcançar para viabilizar o processo de extração do produto objetivado, um fator importante o teor do minério, isto é a percentagem do produto desejado contido no minério e a facilidade de se liberar esse produto, seja por dissolução ou troca iônica, em contato com um reagente. É que irá definir o emprego de um ou outro método. Considerações ambientais e o custo dos reagentes também são importantes nessa decisão.

Mineração Serra Verde disponibiliza terapia para funcionários e familiares

Iniciativa reforça a campanha do Janeiro Branco, que busca chamar a atenção para o tema da saúde mental


A realidade imposta pela pandemia fez com que casos de transtornos emocionais se agravassem em todos os países. Segundo pesquisa do Instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano. Preocupada com esta alarmante situação, a Mineração Serra Verde sentiu a necessidade de cuidar não somente da saúde física dos colaboradores, mas também da emocional e passou a disponibilizar sessões semanais de terapia para funcionários e seus familiares.

Por meio da plataforma OrienteMe, que possui 311 profissionais cadastrados e disponíveis para auxílio psicológico online, os funcionários da mineradora e seus dependentes legais têm direito a 4 sessões de terapia por mês, por videoconferência e com duração de 30 minutos cada, ou se assim preferirem, osfuncionários e seus familiares podem optar pela alternativa de fazerem 1 hora a cada 15 dias.  

“A Mineração Serra Verde prioriza a saúde e o bem-estar dos colaboradores e de seus familiares, e isso ficou evidenciado durante a atual pandemia da Covid-19. No início, todos nós ficamos preocupados em como seria o trabalho em regime de home office, pensamos sobre adaptações, como ficariam os relacionamentos interpessoais e como as pessoas lidariam com o novo modelo. Logo começamos a refletir também sobre os impactos na vida profissional e familiar e o tema saúde mental ganhou mais notoriedade, em um cenário que se faz necessárias ações concretas para contribuir com a saúde dos empregados e parentes. Foi aí que buscamos um benefício para ajudar nossos colaboradores e suas famílias a superar os desafios de um mundo em constante mudança. Encontramos a OrienteMe, um programa completo de saúde mental corporativa, por meio de terapia online, e focado na saúde emocional e qualidade de vida das pessoas. Uma parceria perfeita!”, explica Valdeir Ferreira, Coordenador de Desenvolvimento Humano e Organizacional da Mineração Serra Verde.

A medida é uma iniciativa que reforça a campanha do Janeiro Branco, que busca chamar a atenção para o tema da saúde mental no período em que as pessoas estão mais focadas em resoluções e metas para o ano. Na Mineração Serra Verde, o benefício, disponibilizado desde dezembro de 2021, será permanente, como o plano de saúde, e sem custo algum para o funcionário. “Além das 4 sessões, é possível trocar mensagens, de forma ilimitada, com o psicólogo. O pré-cadastro de todos os funcionários e seus familiares já foi feito. Agora, basta acessarem a plataforma para começar e, a cada nova admissão, é enviada a lista de novos colaboradores ativos e seus dependentes”, conta Michaella Guimarães, psicóloga e Supervisora de Desenvolvimento da Mineração Serra Verde.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a ansiedade afeta 18,6 milhões de brasileiros e os transtornos mentais são responsáveis por mais de um terço do número de pessoas incapacitadas nas Américas. “Fiquei maravilhada com o fato de a empresa ter abraçado esse projeto. É um cuidado que nunca tinha visto antes. Os colaboradores ficaram encantados”, finaliza a psicóloga.

Sobre a Mineração Serra Verde

A Mineração Serra Verde foi fundada em 2008, com o objetivo de desenvolver um projeto de concentrado de terras raras em nível de classe mundial a ser implantado no município de Minaçu, Estado de Goiás, Brasil.

 

Fonte da imagem: Freepik (https://url.gratis/roaAwU)

Mineração Serra Verde recebe Prêmio SESI

Mesmo diante dos desafios impostos pela pandemia, muitas empresas têm enfrentado o momento com responsabilidade e zelo pelos funcionários. E devido ao protagonismo da mineradora durante o combate à Covid-19, por meio de diversas ações e implantação de melhorias no ambiente de trabalho, a Mineração Serra Verde celebra a conquista do 1º Prêmio SESI de Boas Práticas em Saúde, Segurança, Bem-estar e Qualidade de Vida no Trabalho, na categoria média empresa.

A iniciativa, realizada pelo SESI-GO, está alinhada às estratégias de apoio às indústrias goianas para reconhecer e desenvolver a cultura da segurança, saúde e qualidade de vida. “Para nós, é um orgulho e uma honra ganhar este prêmio. Celebramos não somente a atuação profissional e dedicada do nosso time de Saúde e Segurança, mas a vida de cada colaborador que se manteve protegida e segura durante estes meses difíceis de pandemia”, afirma Luciano Borges, vice-presidente executivo da Mineração Serra Verde.

Desde a chegada no novo coronavírus, a SVPM buscou capacitar todos os seus funcionários por meio de ações que enfatizavam a importância dos cuidados necessários para prevenção e combate à Covid-19. Com uma equipe de médicos consultores, infectologista, epidemiologista, enfermeiras e técnicas de enfermagem, formou-se a Brigada COVID-19. O grupo realizou testes nos colaboradores admitidos, em retorno de viagens, sintomáticos e contactantes de casos positivos, promoveu diálogos orientativos, criou um informativo semanal denominado “Gotas de Segurança” e passou a realizar auditorias externas trimestrais. Além disso, disponibilizou todos os recursos para proteção de seus colaboradores, tais como máscara KN95, dispensador com álcool em gel, termômetros infravermelho, tapetes sanitizantes, instalação de ventiladores/recicladores, entre outros itens de segurança.

Tornando-se a primeira mineradora do país certificada com o selo Safeguard Covid-19, que assegura práticas de prevenção por meio de protocolos de higiene e melhores práticas do mercado, a Mineração Serra Verde também assumiu o compromisso com a comunidade local ao doar testes rápidos, máscaras e álcool em gel para a Secretaria Municipal de Minaçu.

“Dos 130 colaboradores, apenas 14 foram infectados com o vírus, apresentando sintomas leves, o que comprovou a eficácia dos procedimentos de biossegurança implantados pelo time. Tivemos uma cobertura vacinal em 100% dos colaboradores com a 1º dose e 86% com a 2ª dose, até o presente momento.  Juntamente com a conscientização de todos, continuaremos obtendo resultados positivos”, finalizou o vice-presidente.

Sobre a Mineração Serra Verde

A Mineração Serra Verde foi fundada em 2008, com o objetivo de desenvolver um projeto de concentrado de terras raras em nível de classe mundial a ser implantado no município de Minaçu, Estado de Goiás, Brasil.

 

Serra Verde oferece capacitação para mulheres

A iniciativa visa formar operadoras de máquinas pesadas

Empenhada na mudança de postura da indústria mineral em relação à igualdade, diversidade e inclusão, a Mineração Serra Verde (SVPM) ofertará 40 vagas para o curso de formação de operadoras de máquinas pesadas para quem desejar se profissionalizar para atuar em grandes empreendimentos. O curso, exclusivo para mulheres, será realizado em parceria com o Senai Minaçu e as inscrições poderão ser feitas de 12 a 27 de março a partir do preenchimento de formulário online.

De acordo com Hellen Matos, gerente de desenvolvimento humano e organizacional da Serra Verde, a proposta é capacitar e incentivar mais mulheres a se candidatarem para vagas disponíveis na área operacional da mineradora. Hellen Matos ressalta que a empresa pretende desenvolver iniciativas que possibilitem esse aumento, tanto no ambiente administrativo como operacional. “Mesmo com a operação de terras raras ainda não iniciada – a previsão é para este ano –, já temos 54 funcionárias mulheres na SVPM. Queremos ver mais delas exercendo cargos de liderança e de operadoras, dentro da mina. Queremos ter a possibilidade de receber mais currículos de mulheres e colocar o nosso programa de diversidade em prática”, afirmou a gerente.

Para se candidatar ao curso, é preciso ter 21 anos de idade ou mais, carteira de habilitação na categoria B ou D, no mínimo, há dois anos e disponibilidade para as aulas presenciais. Mais informações entre em contato pelo número 0800 591 2751 ou envie um e-mail para [email protected].

Mineração Serra Verde é eleita Empresa do Ano do Setor Mineral

A Mineração Serra Verde foi eleita como a Empresa do Ano do Setor Mineral na categoria Inovação & Tecnologia, premiação promovida pela Revista Brasil Mineral. Devido ao desenvolvimento da rota de processo menos poluente e de menor custo para aproveitamento de óxidos de terras raras, a Serra Verde se destacou como uma mineradora sustentável. 

Serra Verde estimula a independência e o crescimento do comércio local

Empresa recomenda cumprimento rigoroso da legislação para efetivação de novos negócios.

O avanço das obras de implantação da Mineração Serra Verde tem movimentado a economia de Minaçu. Postos de combustíveis, papelarias, locadoras de imóveis e veículos, revendedores de materiais de limpeza, alimentação, e empresas especializadas em manutenção mecânica, elétrica, hidráulica, serviços de jardinagem e lava jato são alguns tipos de estabelecimentos que já se beneficiam do relacionamento com o empreendimento. O entendimento da importância do cumprimento de normas de saúde, segurança e meio ambiente e do protocolo de combate à disseminação da COVID-19 - associado a ofertas de preços pouco competitivos, tem sido ainda um obstáculo para que o quantitativo de fornecedores locais não seja ainda maior. Entretanto a empresa investe esforços para orientar e trabalhar com o comércio local.

De acordo com o especialista da área de Suprimentos Robes Oliveira, atender às exigências sanitárias, fiscais, tributárias e trabalhistas, do âmbito municipal ao federal, é pré-requisito para ser um fornecedor de produtos ou serviços. Ele esclarece que, embora alguns documentos requeridos sejam por vezes desconhecidos por parte de alguns empresários, e até julgados como desnecessários à primeira vista, a mineradora segue e estimula o cumprimento rigoroso de toda a legislação antes da formalização de relações contratuais. O especialista acrescenta que isso viabilizará, a longo prazo, o crescimento da economia local de forma sustentável. “Desde o início trabalhamos para que os fornecedores estejam aptos para vislumbrarem novos nichos de mercado e tenham economia autossustentável, ou seja, não estagnem sem a Serra Verde”, destacou.

Há quem já comemore a possibilidade de conquistar novos clientes. De acordo com Rosane Linhares, auxiliar administrativa do restaurante responsável pelo fornecimento de refeições à Serra Verde, responder aos requisitos legais preparou o restaurante para novas concorrências.  Ela destacou que graças às exigências feitas no início da parceria, a empresa estava pronta para concorrer, anos depois a uma proposta de outra empresa, que atrelado ao preço oferecido, culminou em um novo contrato de atuação em um refeitório industrial em Minaçu. Atualmente, a empresa também aguarda o resultado final de um processo de concorrência que participa para preparar as refeições numa usina hidrelétrica da região.

Seja um Fornecedor

Para se tornar fornecedor de produtos e serviços da Serra Verde há documentos comumente cobrados: Alvará de funcionamento, Certidão Negativa de Débitos, procedimentos em atendimento à legislação trabalhista como o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e o código CNAE (Classificação Nacional de Atividade Econômica) compatível com o serviço ou produto da proposta apresentada. O encaminhamento de documentos para análise “pré-cadastral” pode ser feito para o e-mail: [email protected]. Entretanto, o cadastro é realizado sob demanda, tendo como pré-requisito a participação da empresa nas cotações de preços encaminhadas ao mercado. Além disso, a recomendação é que os interessados estejam devidamente regularizados para agilidade no atendimento da oferta.

 

Banco de imagens: Freepik

Mineração Serra Verde ampliará a subestação de energia de Minaçu

Instalação de modernos equipamentos garantirão o serviço adequado a todos os usuários

A Subestação de Energia de Minaçu passará por um processo de modernização nas atuais instalações (retrofitting) e ganhará novos equipamentos. A ampliação da subestação tem como objetivo atender à solicitação de carga da Mineração Serra Verde e melhorar os índices de continuidade e condições operativas no município e região. Todas as adequações são custeadas e gerenciadas pela Mineração Serra Verde.

O complemento consiste em novos equipamentos de alta tensão, como transformadores de potência, chaves seccionadoras, painéis de supervisão e controle e automação, além de recursos técnicos para garantir a confiabilidade do sistema elétrico. As instalações dos novos equipamentos já começaram e a previsão é que tudo estará pronto para quando a mineradora iniciar a operação em 2022.

O coordenador de Manutenção Elétrica Reginaldo de Oliveira Vicente explicou que as obras de adequação e ampliação permitirão que todas as funções da subestação atuem de modo seguro e sem qualquer tipo de comprometimento no fornecimento de energia elétrica à comunidade ao longo da operação da empresa. “A ampliação garante uma saída específica de energia elétrica para o parque industrial da mineradora, sem prejudicar a confiabilidade atual. Isso com os mais modernos equipamentos disponíveis no mercado”, completou Reginado.

Etapas complementares

Para o fornecimento de energia elétrica durante a operação da mina, a Serra Verde contará não só com a subestação de Minaçu, mas também com uma subestação própria, instalação essa que transformará a alta tensão (138kV) em média tensão (13,8kV). A construção da unidade está em andamento na área pertencente ao complexo industrial na região do Pela Ema.

 A interligação elétrica entre as duas subestações ocorrerá por meio da construção de uma Linha de Distribuição de Alta Tensão (LDAT) com extensão de aproximadamente 30 km. Todos os equipamentos necessários para a modernização e ampliação da subestação de Minaçu, construção da LDAT e implantação da subestação ALF já foram adquiridos pela Serra Verde.

“Atualmente estamos na fase de preparação do caminho por onde passará a linha de distribuição de alta tensão e abertura de acessos, necessária para instalação das estruturas metálicas e estruturas de concreto (postes). Tudo já devidamente licenciado pelos órgãos competentes”, destacou o gerente geral de Engenharia e Construção Wanderley Gil.

III Reunião Técnica com a Comunidade acontece dia 30/09

A Mineração Serra Verde realiza, dia 30/09 (quinta-feira), a III Reunião Técnica com a Comunidade. O evento ocorrerá online, via youtube, às 19 horas. O objetivo é apresentar os programas ambientais em desenvolvimento, o andamento da obra, curiosidade sobre o projeto e  esclarecer as principais dúvidas da população sobre a implantação e a previsão de operação do empreendimento. Esse diálogo com a comunidade será conduzido pelo vice-presidente executivo Luciano Borges. 

O encontro virtual é direcionado, principalmente, a população de Minaçu, Montividiu do Norte e Trombas, regiões de interface com a Mineração Serra Verde, entretanto é oportunidade para todos que quiserem conhecer esse importante empreendimento para não só Goiás como para o país. 

Outras duas reuniões já ocorreram no mesmo formato, sendo a primeira em setembro de 2020 e a segunda em maio deste ano.  Para não perder o horário agendado e participar ao vivo, se inscreva no canal e acione o sininho de notificações. 

Em caso de dúvidas ou sugestões, envie um e-mail para [email protected] ou ligue para 0800 591 2751. Participe e envie o que você gostaria de saber sobre a primeira mineradora de terras raras do Brasil. 

Mineração Serra Verde oferece cursos gratuitos em parceria com o Senai Minaçu

II Reunião Técnica do Projeto ALF

 

Primeira mina de Terras Raras no país - Matéria Publicada na Revista Brasil Mineral

Os desafios da mineração em Goiás - Matéria Publicada na Revista Brasil Mineral

 

Matéria Publicada na Revista Goiás Industrial

OBTENÇÃO DO SELO SAFEGUARD COVID-19 - BUREAU VERITAS

 

A Serra Verde Pesquisa e Mineração (SVPM) obteve o selo Safeguard COVID-19, emitido pela Bureau Veritas, referência mundial em serviços de avaliação de conformidade e certificação em saúde e segurança. A companhia desenvolve projeto de concentrado de terras raras em Minaçu (GO) e é a primeira do setor a receber a certificação. 

A Bureau Veritas verifica todas as medidas preventivas necessárias como distanciamento social, intensificação da higiene, as condições de trabalho e conformidade com a legislação local, visando à abertura segura de empreendimentos em meio à nova realidade ocasionada pela pandemia. Para retomar as atividades paralisadas por causa da pandemia após a recente conquista da Licença de Instalação (LI), no fim do primeiro semestre, a SVPM concentrou seus esforços na adoção de rigorosos procedimentos de prevenção, com base nas melhores práticas nacionais e internacionais, seguindo as orientações dos órgãos de saúde. Só então a empresa optou por começar a construção do empreendimento minerário, que pode se tornar o primeiro de classe mundial para produção desses minerais estratégicos no Brasil. 

"Em primeiro lugar, cuidamos para que todos os esforços fossem adotados, no sentido de garantir a saúde dos nossos colaboradores e seus familiares, de modo que pudéssemos contribuir também com a sociedade, levando orientações para dentro e fora da companhia sobre os cuidados para evitar o contágio da COVID-19. Esta certificação, para nós, é fundamental e demonstra que estamos no caminho certo, zelando por aqueles que estão ao nosso redor", diz Luciano Borges, vice-presidente executivo da SVPM.  Segundo o executivo, a companhia buscou construir um ambiente seguro para colaboradores e a comunidade da qual a empresa faz parte, contando com o empenho das equipes no cumprimento das normas. “Criamos procedimentos com base nas experiências bem-sucedidas e inovamos para exceder as medidas e protocolos de higiene, limpeza e cuidados pessoais". 

A Serra Verde implantou um Comitê Interno de Monitoramento e Proteção à COVID-19, estabelecendo Protocolos de Segurança para seus funcionários, terceiros e parceiros em todas as áreas do empreendimento. As primeiras medidas adotadas foram a adequação do ambiente de trabalho, com o objetivo de manter o distanciamento garantindo mínimo de 1,5 metro; ações para evitar aglomerações; suspensão de eventos e treinamentos, por tempo indeterminado; disponibilização e obrigatoriedade no uso de itens de proteção como máscaras e álcool gel; constante testagem das equipes, acompanhamento médico adequado, entre outras.

Fonte: https://www.brasilmineral.com.br/noticias/obten%C3%A7%C3%A3o-do-selo-safeguard-covid-19

CONCLUSÃO DA SEGUNDA ETAPA DO LICENCIAMENTO AMBIENTAL

INÍCIO DAS OBRAS DE ADEQUAÇÃO E MELHORIAS DA ESTRADA DE ACESSO À FUTURA UNIDADE DE PRODUÇÃO DA SERRA VERDE PESQUISA E MINERAÇÃO (SVPM)

Equipe da Serra Verde visita SENAI em Minaçu

 

No último dia 13, a equipe da SVPM, na ocasião representada por seu Diretor de Operações, Carlos Guedes e o Gerente de Projeto, Pitágoras Costa, juntamente com o Gerente de Geologia, Jorge Frutuoso e o Supervisor de Geologia, José Júnior, realizou visita técnica no SENAI em Minaçu, objetivando conhecer a infraestrutura e avaliar eventuais colaborações no futuro.

 

 

Minaçu, 14 de fevereiro de 2019.

Fonte: Comunicação SVPM

Confira notícia publicada no jornal O Hoje

Confira notícia publicada no Jornal Estadão

Nova Diretora Financeira (CFO) da Serra Verde

Goiânia, Fevereiro de 2019.

DAYSE GUELMAN: nova Diretora Financeira (CFO)

DAYSE CHRISTINA GUELMAN está assumindo o cargo de Diretora Financeira da Serra Verde Pesquisa e Mineração.

Estou muito feliz em anunciar este importante reforço a equipe de líderes da Serra Verde. A partir de 04/02/2019, DAYSE CHIRSTINA GUELMAN assumirá o cargo de Diretora Financeira (CFO).

DAYSE GUELMAN é graduada em Administração de Empresas e Ciências Econômicas, com especialização em Gestão de Negócios pela Fundação Dom Cabral, certificada em Liderança pelo Massachusetts Institute of Technology.

Com experiência de 28 anos na área de Finanças, atuou em renomadas empresas de mineração no Brasil, bem como em outros segmentos, participou de estruturações e reestruturações de processos financeiros, captando recursos e estabelecendo interfaces com investidores.

A Dayse se juntará a Serra Verde em um momento muito especial, momento no qual estaremos avançando com o nosso projeto ALF em Minaçu, Goiás.

 

Desejo à Dayse muito sucesso em sua nova etapa profissional!

 

ERIC NOYREZ

CEO

Nota à População de Minaçu e Municípios Vizinhos

SVPM se reúne com a comunidade de Minaçu

 

Serra Verde se reúne com a Comunidade de Minaçu

 

Entre os dias 22 e 24 de outubro, a pedido de autoridades locais, a Serra Verde, na ocasião representada por seu Vice-Presidente Executivo, Luciano Borges, acompanhado pelo Supervisor de Geologia e responsável local, José Júnior, o Coordenador de SSMA, Tiago Mauriz, a Coordenadora de RH, Cíntia Ferreira e o prestador de suporte Jurídico, Rodrigo Costa e, esteve  na cidade de Minaçu para participar de reuniões com a Comunidade a fim de informar o status do Projeto ALF.

No dia 22, os representantes da Serra Verde participaram da sessão na Câmara dos Vereadores, a qual foi transmitida ao vivo por emissora de rádio local, no dia 23 se reuniram com as Comunidades do Distrito de Cana Brava (Filó) e do Patrimônio do Vicente e, no dia 24, concederam uma coletiva de imprensa para as rádios locais.

 

   

 

 

 

Comunicação

Serra Verde

Mineração Serra Verde names Eric Noyrez as Chief Executive Officer

 

For Immediate Release

 

MINERAÇÃO SERRA VERDE NAMES ERIC NOYREZ

AS CHIEF EXECUTIVE OFFICER

 

Industry veteran and board of director member will lead

Brazilian rare earth project into next phase

 

Goias State, Brazil -- [5 September, 2018] -- Mineração Serra Verde (MSV), an advanced development stage rare earth project in central Brazil, announced that it has appointed Eric Noyrez to Chief Executive Officer.

 

Leading Project Milestones

Previously a member of the MSV Board of Directors, Noyrez was instrumental in many of the project’s recent milestones including achieving industrially representative piloting and product acceptance.

 

“Since joining the team in 2017, my focus has been to deliver the project on time and within budget, while also ensuring we’re producing a strongly sustainable new source of competitive rare earths,” said Noyrez, who previously served in several executive roles at Lynas Corporation Limited. “We’ve achieved our goals to-date but must continue strengthening our team as well as find partners who can help us take the Serra Verde project to the next phase. I’m very excited about what is to come and am looking forward to my new role with MSV.”

 

Noyrez previously was also tasked with moving the project further toward implementation and oversaw a four-month long evaluation process to select an engineering firm. Currently, he is working to recruit an experienced industrial project development and operations team to continue the project’s progress, in addition to selecting equipment suppliers.

 

“Construction will start in early-2019, so right now we working to get the right partners in place and have already issued an RFP for suppliers. We are serious about this next phase and, thanks to the continued support of our capital partner Denham Capital, confident the project will soon be brought into production,” added Noyrez.

 

 

The Serra Verde Deposit

Located in the State of Goias, an established mining region, Serra Verde hosts an NI 43-101-compliant resource of 911 million tonnes @ 0.12 percent TREO (based on an exploration area representing approximately 15 percent of the overall Serra Verde deposit area), with high-value critical and heavy rare earths representing more than 60 percent of the resource. 

 

Serra Verde’s ionic clay mineralogy is analogous to the mineralogy currently detained by market-dominating southern China producers, but with rare earth grades three times higher than the average of those deposits, and ore volume 10 times larger. The Serra Verde deposit also benefits from access to roads, water and power within 40 kilometers of the site, plus community support.

 

The region’s high-value rare earth mix is consistent with projected demand growth from next-generation applications ranging from clean energy and hybrid vehicles to high-performance consumer electronics, industrial and military applications.  

 

In 2017, samples tested were approved as market compliant at all major Rare Earth separators, receiving positive feedback from industry leaders. The project is currently preparing for the engineering phase and is expected to start commercial operations in 2020.

 

About Serra Verde

Mineração Serra Verde is an advanced development stage rare earth project located near Brasilia, in the State of Goias, a mining friendly jurisdiction. The size of the resource and the project’s ionic clay geology and freely liberated mineralization is similar in geology to the well-known heavy rare earth Chinese deposits.  The weathered rock, saprolite ore allows for open pit, truck-and-shovel extraction -- providing for cheaper, simpler processing and lower capex versus peers.  Further, a large portion of the deposit is comprised of heavy and critical rare earths, which have a higher value as compared to light rare earths, giving the project the potential to challenge China's dominance of the heavy and critical rare earth market.

 

About Denham Capital

Denham Capital is a leading energy and resources-focused global private equity firm with more than $9 billion of invested and committed capital across nine fund vehicles and offices in Perth, Houston, London and Boston. In the Mining sector, the firm partners with experienced management teams with proven track records to acquire companies and assets in the metals and minerals sectors that are close to or already in production. Denham targets investments in base metals, metallurgical coal, and industrial and specialty minerals in Australia, Canada, South America and Africa. In addition to Mining Ventures Brasil, Denham’s mining portfolio includes Auctus Minerals, a Perth-based company developing mining assets throughout Australia; Pangea Limited, an African-based company targeting mining assets across all stages of the project life cycle;  Pembroke Resources, a team focused on acquiring and developing metallurgical coal assets in the Asia-Pacific region; Santiago Metals, a Chilean mining venture; and Stellar Mining, a mining and exploration company in Peru. For more information about Denham Capital, visit www.denhamcapital.com.

 

Media Contact:

Krystal Patout

Phone: +1 713 627-2223

Email:   [email protected]  

 

 

#  #  #

Audiência Pública - 2017

Serra Verde discute projeto

MINAÇU - Mineradora se prepara para implantar planta de extração e beneficiamento de terras raras e realiza audiência pública em que mostra potencialidades do empreendimento.


Comunidade lotou templo evangélico durante Audiência Pública da Mineradora Serra Verde em Minaçu.


Aproximadamente cinco mil pessoas, segundo estimativa dos organizadores, participaram na quinta-feira (27) de uma Audiência Pública realizada em Minaçu referente ao Licenciamento Ambiental do Projeto de Extração e Beneficiamento de Terras Raras da Mineradora Serra Verde, na Região do Pela Ema. O evento aconteceu no templo principal da Igreja Evangélica Assembleia de Deus e contou com as presenças de três prefeitos: Agenor Nick Barbosa, de Minaçu; Jacira Martins Fernandes, a Cirinha da Farmácia; de Montividiu do Norte e Agostinho da Nóbrega Rodrigues, de Trombas. A primeira-dama de Minaçu, Maria Lúcia, também participou. Durante a audiência pública, os gestores da mineradora Serra Verde falaram das potencialidades do empreendimento em relação à geração de emprego e renda para a sociedade e para os municípios e também mostraram como estão processo de estruturação da unidade.

 

Presidente e CEO Luciano de Freitas: Exposição sobre as potencialidades.

 

A Serra Verde Pesquisa e Mineração Ltda é uma empresa que surgiu de um projeto iniciado pela Mining Ventures Brasil, uma companhia controlada pela Denham Capital Management LP, uma empresa internacional especializada no desenvolvimento de projetos de exploração de recursos naturais, com participação minoritária da Arsago Mining Capital (BVI) Ltda, um grupo suíço com foco em empreendimentos no Brasil. De acordo com o presidente e CEO da mineradora, Luciano de Freitas Borges, o Projeto Serra Verde encontra-se em estágio avançado de desenvolvimento, aguardando a conclusão dos processos de licenciamento ambiental para dar seguimento às atividades necessárias para a implantação, a partir da obtenção da eventual Licença de Implantação, que corresponde a segunda fase do processo de licenciamento ambiental, e que autoriza a construção do empreendimento. Ele disse que no depósito mineral na região do Pela Ema, localizado em Minaçu e com extensões para os municípios de Trombas e Montividiu do Norte, está provavelmente o maior depósito de terras raras em argilas iônicas do Hemisfério Ocidental e o objetivo da Mineradora Serra Verde é se tornar uma referência internacional de fornecimento de Terras Raras de alta qualidade, produzidas sobretudo com respeito ao meio ambiente, visando ao atendimento da demanda crescente por esses metais e à busca de alternativas de fornecimento fora da China, que hoje controla, de forma quase monopolística, a oferta de terras raras ao mercado global." A exploração os recursos naturais, minerais e energéticos, antes de ser um bom negócio para um empreendedor qualificado, é um imperativo para a sobrevivência, a segurança e o bem-estar da comunidade humana, exigindo, por isso, regras e práticas específicas que assegurem o atendimento de todas as dimensões que integram o conceito do Desenvolvimento Sustentável. O empreendedorismo e a criatividade das pessoas são as principais alavancas para enfrentar os grandes problemas econômicos contemporâneos: o aumento da produção, com a preservação da qualidade ambiental e o respeito à integridade sociocultural das comunidades. A sustentabilidade de qualquer empreendimento está intrinsecamente ligada à boa governança corporativa, prática que prioriza, igualmente, os objetivos econômicos perseguidos pelos acionistas e investidores, o cuidado com o meio ambiente e o desenvolvimento de relações sólidas de parceira e compartilhamento de benefícios com todos os agentes sociais, individuais ou coletivos, que integrem tanto a cadeia produtiva quanto o meio social" disse o presidente Luciano. Nas parcerias com os municípios, a Serra Verde pretende investir na qualificação e treinamento de recursos humanos locais; fortalecer cadeias regionais de fornecimento, dando preferência à aquisição de produtos e serviços de origem local; participar das atividades de relevância social e dar apoio a projetos culturais, assim como manter o diálogo permanente com os agentes sociais interessados nos projetos da empresa. Na fase de implantação, a previsão é que a Mineradora Serra Verde consiga algo em torno de mil empregos diretos e mais de três mil indiretos, o que deve ocorrer num período de 18 meses, segundo informações dos empreendedores. Já na fase de operacionalização, a Serra Verde prevê a geração de 800 postos de trabalho de forma direta e 1.600 empregos indiretamente. O empreendimento deverá gerar aproximadamente R$ 14,4 milhões por ano em receitas fiscais CFEM - Recolhimento Corrente/Parcelas Manuais/Permissão Lavra Garimpeira; ISS – Imposto Sobre Serviços; ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Prestação de Serviços; e mais receitas não fiscais, que são pagamentos de salários, compras no comércio, produtos e serviços. O prefeito Nick Barbosa disse que o lançamento do projeto da Mineradora Serra Verde significa o abrir de novas portas de trabalho e a garantia de mais renda para Minaçu em um momento crítico economicamente que atinge todos os municípios brasileiros, porém ele esclareceu que a arrecadação do município só irá aumentar a partir do momento em que a produção de minério for efetivamente iniciada. O prefeito ressaltou que não está no cargo por um simples acaso e lembrou à comunidade o empenho do governador Marconi Perillo e do secretário Vilmar Rocha em relação ao empreendimento. A prefeita Cirinha da Farmácia acrescentou que assim como o município de Minaçu, as cidades de Montividiu do Norte e de Trombas também serão beneficiadas com a chegada da mineradora e demonstrou otimismo em relação às mudanças econômicas que poderão ocorrer já a partir do processo de implantação do projeto e, principalmente, na fase de operacionalização da exploração das Terras Raras. O prefeito Agostinho explicou que na cidade de Trombas a geração de emprego está praticamente polarizada nas vagas de trabalho oferecidas pela prefeitura e por uma indústria cerâmica de argila vermelha. Ele disse que devido às dificuldades enfrentadas pelos profissionais para inserção no mercado de trabalho, as portas abertas pela mineradora serão fundamentais para alavancar a economia do município. No fim da audiência, a comunidade fez questionamentos e tirou dúvidas com os gestores sobre vários temas, como a implantação de projetos ambientais, processo de contratações de funcionários e o pagamento de indenizações aos proprietários rurais. As pesquisas identificaram na Região do Pela Ema os seguintes minerais: Biotita Microclina Granito (BAG); Muscovita Albita Granito (MBALG); Biotitito (BIO); Saprolito de Biotita Microclina Granito (SBAG); Saprolito de Muscovita Albita Granito (MBALG); e Saprolito de Biotitito (BIO). Também participaram da Audiência Pública: o presidentes da Câmara Municipal de Minaçu, vereador Admilson Seabra Campos; e de Montividiu do Norte, Divino Ribeiro de Moraes; o superintendente de Mineração da Secretaria de Desenvolvimento, Tasso Mendonça Júnior; Emmanuel Bandeira, da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos; Vaidijon Estrela, do Departamento Nacional de Produção Mineral; e o engenheiro Nelson Siqueira Jr., da empresa DBO Engenharia. Mineradora se prepara para implantar planta de extração e beneficiamento de terras raras e realiza audiência pública em que mostra potencialidades do empreendimento.

 

Data: 01/05/2017

 

Texto e fotos: Pedro Gomes

Fonte: Jornal Diário do Norte

Ambiente de negócio fica mais favorável - 2018

Ambiente de negócio fica mais favorável

 

 

O governo federal, com a edição de decretos, além da mudança na distribuição da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), trouxe novas normas como determinação para fechamento de minas após a exploração. As normas foram bem avaliadas pelo mercado por estarem próximas às praticadas internacionalmente e por deixar o ambiente mais favorável aos negócios.

Segundo o presidente da Câmara Setorial da Mineração da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Wilson Antonio Borges, a atualização do Código de Mineração (em vigor há mais de 50 anos) em conjunto com a aprovação da legislação da CFEM e criação da Agência de Mineração (ANM) são passos importantes para o programa de revitalização da indústria. “A obrigação de recuperar áreas ficou clara, há atualização de conceitos com padrão internacional, boas práticas regulamentadas como responsabilidade do minerador, empreendedor.”

“Outro ponto importante é a oferta de área por meio de seleção e julgamento com critérios objetivos para dar dinamismo, acabou com filas, haverá leilão, permite agora a continuação de pesquisa após o relatório final, com objetivo de converter recursos em reservas”, cita.

Assim, ele pontua que as mudanças possibilitam melhores práticas e segurança jurídica que há anos o setor esperava. O que resulta na viabilização de pesquisa em novas áreas, mais investimentos e Goiás tem destaque nacional na atividade de tanta importância econômica. Assim, a expectativa é de que grandes projetos voltem a ser desenvolvidos no Estado conforme ocorra também reaquecimento dos preços dos produtos.

Para o diretor de Assuntos Estratégicos da Amarillo Mineração do Brasil (que tem projeto de exploração de ouro em Mara Rosa com previsão de implantar em 2020), Arao Portugal, a dificuldade de conseguir investidores esta pautada na insegurança jurídica e no momento político do País. No caso da insegurança, as mudanças ajudam, mas impacta com aumento de custo. Já para o vice-presidente executivo da Serra Verde (com projeto de terras raras em Minaçu), Luciano de Freitas Borges, há melhorias nos parâmetros e regras de fácil aplicabilidade que auxiliarão o setor que está tão presente no dia a dia.

Data: 13/06/2018

Texto: Katherine Alexandria

Fonte: O Popular

Fotos: Floriano Rios

Nova equipe assume na SVPM - 2018

TERRAS RARAS

Nova equipe assume na Serra Verde

 

 

A Serra Verde Pesquisa e Mineração Ltda., o empreendimento de maior êxito da Mining Ventures Brasil, um projeto controlado pela Denham Capital, deu início aos primeiros passos para o desenvolvimento e construção de seu projeto de Terras Raras em argilas iônicas, o primeiro depósito deste tipo descoberto nas Américas.

Localizado no tradicional distrito mineiro de Minaçu, situado no extremo no Norte de Goiás, o Projeto Serra verde possui um gigantesco depósito de classe mundial de terras raras em argila iônica, similar aos depósitos conhecidos no sul da China, os quais respondem por mais de 65% do suprimento mundial de terras raras. 

O Projeto Serra verde compreende cerca de 60 mil hectares de direitos minerários, onde apenas em sua porção sul (cerca de 18% da área total), já foram confirmados recursos de mais de 1,3 bilhão de toneladas de minério com teor médio de 0,15% de óxido de terras raras totais (TREO) dos quais 911 milhões de toneladas estão certificadas segundo as normas internacionalmente aceitas  (NI 43-101). 

Como os trabalhos exploratórios já permitem assegurar recursos econômicos suficientes para sustentar a implantação e um projeto de classe mundial -- o qual, inclusive, já recebeu a Licença Prévia ambiental, em setembro de 2017 -- a companhia resolveu reestruturar sua equipe de gestão, reforçando o seu bem-sucedido time de exploração e desenvolvimento de processo com profissionais  alto nível, com expertise internacionalmente conhecida no desenvolvimento de projetos e na comercialização de terras raras.

A nova equipe é liderada pelo engenheiro Eric Noyrez, ex-CEO da Lynas e ex-diretor de terras Raras da Rhodia. Na condição de novo CEO da Serra Verde, Eric é responsável pela estratégia de negócios, além da administração geral da companhia. A implementação do projeto está a cargo do novo diretor de operações (COO), o engenheiro José Carlos Guedes Rosado, um experiente profissional brasileiro, que foi responsável pela construção das unidades da segunda fase do projeto da Lynas, na Austrália e na Malásia, além de vários projetos da Rhodia em diversos países, incluindo a China. A área comercial foi reforçada com a vinda de Michael Zhu (CCO- Diretor Comercial), ex-gerente geral da Rhodia na China e membro honorário da Associação Nacional de Terras Raras da China, instituição que coordena a política de terras raras daquele país. O ex-CEO Luciano Borges assumiu a vice-presidência executiva, respondendo pelas relações institucionais, além da supervisão administrativa e dos processos de licenciamento ambiental e mineral.

Da mesma forma que a Serra Verde representa uma nova fase para a indústria brasileira de Terras Raras, que praticamente desapareceu em meados da década de 1980, esse novo time representa uma nova fase para o Projeto Serra Verde, como explica seu presidente, na entrevista a seguir. 

 

BRASIL MINERAL - Quais foram os principais motivos que levaram a empresa a apostar no projeto? 

ERIC NOYREZ - Em primeiro lugar, a qualidade do depósito mineral e a facilidade de se extrair as Terras Raras, por meio de um processo totalmente comprovado e de ambientalmente sustentável.

 

BM - Como está o cronograma de implantação do empreendimento?

NOYREZ - O cronograma inicial previa o início da produção para 2017. A extensão dos estudos ambientais, a par da delegação de competência do licenciamento ambiental do IBAMA para a Secretaria de Meio Ambiente de Goiás- SECIMA, deu-nos segurança para atualizarmos nosso novo cronograma, que prevê iniciar a produção até, pelo menos, o início de 2021. Atualmente, nossos esforços estão concentrados no atendimento das exigências da Licença (ambiental) Prévia, assim como no desenvolvimento da Engenharia do Projeto, para o que contratamos o suporte de uma companhia de internacional, de classe mundial, que atua no Brasil. 

 

BM - Quais são os principais diferenciais do projeto no segmento de terras raras?

NOYREZ - Nossos principais diferenciais são o tipo de mineralização e qualidade do minério (volume, teor e alta concentração de Terras Raras críticas e pesadas); a localização em um distrito mineiro tradicional, com boa infraestrutura e suporte da comunidade local e estadual; processo de tratamento em circuito fechado, com reciclagem total da água e dos reagentes empregados no processo, assegurando um baixíssimo impacto ambiental; e o suporte da comunidade; além da excelente qualidade do minério e da ausência de resíduos radioativos, comumente associados aos outros tipos de depósitos e minérios de terras raras. Tudo isso coroado por uma melhoria de processo, que resultou em um processo inovador e eficiente, desenvolvido e testado dentro da própria empresa, por nossa equipe. 

 

BM - Qual o volume de investimentos previstos, onde se darão os principais aportes e como a empresa está fazendo o funding?

NOYREZ - Até aqui, foram investidos em pesquisa mineral, estudos ambientais e desenvolvimento de processo cerca de US$ 72 milhões. Para a fase de desenvolvimento e implantação, até o início da produção, estão programados mais US$ 150 milhões. Todo o investimento se deu por meio de um fundo de investimento, sem endividamento, mediante “equity”, através de um fundo de investimentos especializado.

 

BM - Como a empresa pretende atuar no mercado de terras raras e quais são suas vantagens competitivas?

NOYREZ - O mercado vem crescendo em um ritmo superior à capacidade de oferta dos recursos disponíveis. As Terras Raras são usadas para suprir as necessidades de demandas tecnológicas tradicionais (limpeza de emissões automotivas, crackeamento e refino de petróleo, equipamentos de imageamento médico etc.), porém muito mais intensamente nas principais tecnologias avançadas em ascensão, como motorização de veículos híbridos e elétricos, smartphones, turbinas eólicas para produção de energia elétrica, produção de super-imãs para aplicações diversas, etc). A estratégia da companhia inclui a celebração de contratos de off-take, de longo prazo, com alguns clientes estratégicos, selecionados entre os principais provedores de soluções tecnológicas e produtos que compõe o segmento “downstream” da cadeia econômica global de terras raras. 

Nosso depósito mineral e nosso processo nos permitem competir, em pé de igualdade, com os custos dos melhores e mais competitivos fornecedores do mercado atual, e mantermos um projeto sustentável tanto em termos da produção inicial, quanto sob ponto de vista de todo o ciclo de vida da nossa mina.

 

BM - Como analisa as condições do Brasil para um projeto desse tipo?

NOYREZ - Primeiramente, o Brasil é o quarto maior produtor mundial de bens minerais e, como tal, possui um elevado nível de compreensão e de práticas de gestão relacionados à indústria mineral.  Se de um lado há um elevado nível de exigências legais e regulatórias, de outro há um forte suporte político-social aos projetos de alta qualidade, como, por exemplo, clareza e estabilidade das regras aplicadas à gestão dos direitos minerários, características que representam uma barreira de entrada significativa, mas que nós apreciamos e valorizamos, em razão dos valores e das práticas que norteiam nossa filosofia empresarial.  

Nossa equipe, bastante experiente tanto no desenvolvimento e implementação quanto na operação de empreendimentos mineiros, sempre construiu projetos melhores e maiores do que o padrão médio mundial, empregando os melhores processos disponíveis e as técnicas de produção mais “limpas” e sustentáveis. E essa tem sido a principal razão do nosso sucesso no segmento em que operamos, já há algumas décadas.

 

Data: 05/07/2018

 

Fonte: Brasil Mineral





x

Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência de usuário. Ao acessar nosso site, você concorda com nossa política de cookies.

Leia mais sobre nossa Política de Cookies.. Eu Aceito